Viúva de Kobe Bryant presta emotiva homenagem à filha

0

Vanessa Bryant recordou a menina na sua página do Instagram.
Ainda em choque com o trágico acidente de helicóptero que matou o marido, Kobe Bryant, a filha, e outros sete tripulantes, Vanessa Bryant surpreendeu os que a seguem no Instagram com uma homenagem que fez à sua menina. 

Na rede social, a viúva de Kobe publicou uma fotografia da pequena Gianna, de 13 anos, a usar uma camisola com o número 24, o mesmo número do pai na equipa Los Angeles Lakers, e a segurar numa bola de basquetebol. Uma imagem que chegou acompanhada de uma mensagem emotiva. 

“Ver a minha pequena menina a sorrir e feliz novamente com uma bola de basquetebol debaixo do braço, embrulhada em amor, aqueceu o meu coração”, escreveu, aproveitando o momento para agradecer à autora da ilustração, Reina Koyano.

FONTE:NM/AG
\\\\
Ex-militares controlam áreas de conservação

3 de Fevereiro, 2020
O corpo de fiscalização das áreas de conservação do país será reforçado até ao primeiro semestre do ano em curso, informou, sábado, em Luanda, o director-geral do Instituto Nacional da Biodiversidade e Áreas de Conservação, Aristófanes Pontes.

Para o efeito, disse, está previsto o recrutamento de 250 fiscais (ex-militares), no âmbito de um acordo de cooperação com o Ministério da Defesa.
Os novos fiscais serão distribuídos nos Parques Nacionais da Quiçama, Bicuar e Cangandala e, depois do ca-dastramento, colocados como guias, pisteiros, guardas e administrativos.
Falando à ANGOP à margem da visita dos deputados da 5ª Comissão da Assembleia Nacional ao Parque da Quiçama, Aristófanes Pontes ressaltou que existe um termo de referência para a selecção dos fiscais.
Segundo o responsável, os futuros “soldados da natureza”, após o cadastramento, serão submetidos a uma formação técnica para melhor responderem às situações do dia-a-dia dos parques nacionais.
A ministra do Ambiente, Paula Francisco, disse, no final da visita dos deputados à Assembleia Nacional ao Parque Nacional da Quiçama que o acto serviu também para a partilha de experiên-cia e mostrar o potencial ecológico do local.
Paula Francisco garantiu que parte das preocupações dos parques da Quiçama e da Cangandala (Malanje), como a sua evolução da unidade de gestão, continuidade da capacitação e integração de fiscais no corpo directivo e de fiscalização, assim como o reforço a unidade dos crimes ambientais, vão ser resolvidas com o apoio do Fundo Global para o Ambiente, no âmbito do ciclo de financiamento número cinco, com total de cinco milhões de dólares.
Já a presidente da 5ª Comissão da Assembleia Nacional, Ruth Adriano Mendes, considerou a visita importante e oportuna, por ter permitido conhecer as dificuldades e trabalho desenvolvido para sua preservação e atracção de turistas.
Disse que se deve abraçar o trabalho desenvolvido para preservação do Elefante, no sentido de potenciar o tu-rismo para gerar receita. “O turismo e o ambiente po-dem contribuir para a ob-tenção de receitas, se po-
tencializarmos essa actividade”, referiu.
Por sua vez o deputado da CASA-CE, Manuel Fernandes, afirmou que se deve numerar o grau de dificuldade, para a promoção do turismo, por ser uma indústria de paz.
Salientou que, com a visita, tem tudo para poder fazer uma advocacia destinada a melhorar o “bolo” financeiro do sector do am-biente. Com uma extensão de nove mil 600 quilómetros quadrados, o Parque da Quiçama conta com quatro postos fixos para patrulhamento.
Instituído como Parque Nacional em 1938, a reserva da Quiçama está situada na região noroeste de Angola, a uma distância de aproximadamente 75 quilómetros da cidade de Luanda. Faz parte das zonas de protecção integral da natureza. Limita-se com o Oceano Atlântico, mantendo 120 quilómetros de área costeira e com os rios Cuanza e Longa.
No país existem actualmente oito parques nacionais e sete reservas naturais que cobrem uma área de 82 mil quilómetros quadrados (6,6 por cento do território nacional).
Trata-se dos parques nacionais da Quiçama (Luanda), Cangandala (Malanje), onde se localiza o Santuário da Palanca Negra Gigante, Bicuar (Huíla), Iona (Namibe), Cameia (Moxico), Mupa (Cunene), Mavinga e Luengue-Luiana (Cuando Cubango).
A área protegida de Angola totaliza 188.650 quilómetros quadrados, mais de 15 por cento do território nacional, num total de 18 áreas de protecção florestal e zonas de protecção local.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: