Velejadores fazem adaptação às novas embarcações na Baía

0

Os atletas da Selecção Nacional de vela, classe 420 e 270, em ambos sexos, realizaram amanhã, a partir das 13h00, o segundo treino de adaptação às novas embarcações, tendo em vista a disputa do Campeonato Africano, a decorrer de 12 a 18 do corrente, em Luanda.

Hoje, as tripulações receberam o material que precisavam para fazer as afinações, composto por velas das embarcações, cintos de trapézio, botas, bem como os uniformes a serem usados para treino.

Em declarações ao Jornal de Angola, Adilson Torres, seleccionador da classe 470, mostra-se satisfeito com a evolução do grupo, muito por conta da “experiência internacional” da maioria dos integrantes, depois de alguma ansiedade no início da preparação. 
”Os atletas têm feito as devidas interpretações de navegação, e os níveis de ansiedade estão mais baixos nesta altura. Alguns aperfeiçoaram melhor a componente velocidade, e nestes poucos dias que restam vou procurar deixar o grupo equiparado.”
Por se tratar de tripulações com experiência competitiva considerável, o seleccionador acredita que dois dias de treino com as novas embarcações são suficientes para a adaptação.

São no total sete duplas, entre elas uma mista, criada pela primeira vez por exigência da Federação Internacional de Vela, num molde a ser usado nos Jogos Olímpicos de Paris’2014, França, de acordo com uma fonte do órgão reitor da modalidade em Angola. 
Assim sendo, Osvaldo da Gama / Aline Lourenço vão fazer estreia no Africano de Luanda. Completam o grupo Francisco Artur / Edvaldo Torres, Matias Montinho / Paixão Afonso, Paulo Amaral / Lúcio Felgueira, Paulo Almeida / Leonildo Feliciano, Domingas Huambo / Isabel Afonso e Lúcio Fernandes / Geovani da Cruz.

Nesta classe, o objectivo da FADEN passa por qualificar duas duplas (masculina e feminina) para os Jogos Olímpicos de Tóquuio’2020, no Japão. No que diz respeito à selecção da classe 420, o objectivo é conquistar o título continental, de acordo com Moisés Camota.
Nos últimos dois dias, dirigentes da FADEN têm estado a fazer os últimos acertos, do ponto de vista administrativo, de modo a criar todas as condições até domingo, dia previsto para a apresentação oficial do evento, agendada para as 15h00, no Clube Náutico da Ilha de Luanda.

A movimentação na sede do Clube Náutico, base da prova, aumentou consideravelmente com a chegada paulatina dos convidados internacionais. Nesta altura decorrem trabalhos de montagem das zonas de apoio para acomodação das embarcações, espaços para “briefings” e outros.

Quanto aos competidores, a África do Sul foi a segunda selecção a desembarcar em Luanda, com dois tripulantes, Matt Ashwell e Asenathi Jhon “Esquilo”, potenciais candidatos a conquistar o título em 470, a julgar pela performance patenteada nas últimas provas continentais.

A dupla feminina de Moçambique, composta por Denise Parruque e Maria Machava, encontra-se em Luanda há cinco dias e, de acordo com o treinador Gonçalo Ramos, as mesmas já se adaptaram às condições do mar, e têm realizado duas sessões de treino diariamente na Baía de Luanda.

Por se tratar de uma prova “Open” (aberta a todos interessados), desde que estejam inscritos na World Sailing (Federação Internacional de Vela), Portugal vai disputar a prova nos 420, com uma tripulação composta por Manuel Ramos e Martin Mastbaum, cuja chegada está prevista para hoje.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: