Vários supermercados na Bélgica retiram lotes de ovos por precaução

0

 

Segundo a agência noticiosa local Belga, a medida foi adotada pelos supermercados Albert Heijn, Colruyt, Delhaize, Lidl y Aldi.

A cadeia holandesa Albert Heijn retirou das suas prateleiras 25 dos 38 tipos de ovos que comercializa na Bélgica, todos eles procedentes da Holanda, a pedido das autoridades daquele país.

Foi na Holanda que, na quarta-feira, foi dado o alarme alimentar, depois de as autoridades terem descoberto que tinham sido comercializadas e exportadas para a Alemanha várias remessas de ovos contaminados com fipronil, um pesticida tóxico para os humanos, e terem apelado para que fossem retiradas do mercado e não fossem consumidas.

O supermercado Delhaize retirou na quarta-feira de forma “preventiva” uma remessa de ovos da sua marca branca que poderia conter uma quantidade demasiado elevada de fipronil, a pedido da Agência Federal de Segurança para a Cadeia Alimentar (AFSCA) da Bélgica, indicou o porta-voz da empresa, Roel Dekelver.

Também o grupo Colruyt confirmou ter retirado nas últimas semanas “um número limitado de ovos”, equivalente apenas a 1% das vendas que realiza numa semana, afirmou o porta-voz da empresa, que não forneceu mais pormenores sobre o motivo concreto de tal decisão.

O supermercado alemão Lidl, que na Bélgica só comercializa ovos de origem belga, também tirou das suas prateleiras um lote que continha uma quantidade reduzida de fipronil, por recomendação da AFSCA.

O também alemão Aldi, que hoje de manhã recolheu todos os ovos holandeses das suas lojas na Alemanha, retirou dos seus estabelecimentos na Bélgica todos os ovos “de um fornecedor em concreto, como medida de precaução”, segundo a empresa, que acrescentou que naquele país não foi comercializado nenhum ovo das granjas belgas cuja produção tenha sido interditada por motivo de contaminação.

As filiais belgas do grupo francês Carrefour não foram instadas a retirar qualquer lote de ovos, embora por precaução se tenha analisado um deles, que revelou não existir perigo de saúde.

Os supermercados sublinharam que as medidas adotadas na Bélgica o foram a título preventivo e que não existe risco sanitário.

A Bélgica já tinha avisado a 20 de julho os parceiros europeus, depois de ter detetado fipronil numa remessa de ovos, e a Holanda fez o mesmo no dia 28.

No entanto, só esta quarta-feira, 02 de agosto, é que as autoridades holandesas advertiram de que, em alguns lotes, a quantidade do pesticida era superior aos limites e poderia representar um perigo para a saúde dos consumidores.

As autoridades belgas e holandesas abriram investigações para determinar como é que o pesticida chegou aos ovos.

Fonte: NM/BA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: