Transferências sociais monetárias beneficiam mil e 200 crianças

0

Mil e 200 crianças dos zero aos cinco anos de idade, na província de Luanda, vão beneficiar de um projecto denominado “Luanda Emergencial Covid-19”, que tem como foco a transferência social monetária.

 A iniciativa está a ser financiada pela Agência Sueca de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (ASDI), por via do UNICEF e pretende assegurar, numa primeira fase, um total de 519 famílias e 908 crianças.

A formalização do acordo aconteceu hoje, sendo que a iniciativa vai beneficiar o município luandense de Icolo e Bengo, nos bairros de Camizungo, Camizungo 2, Camassa, Mazozo sede e Mazozo Lagoa.

O projecto vai se estender para os centros de acolhimento dos município de Belas e de Viana.

Após o acordo, a governadora da província de Luanda, Joana Lina, disse que a pandemia da Covid-19 agudizou o risco social e económico de várias famílias, dai que o projecto vem dar resposta pontual às essas dificuldades.

“É um estímulo”, sublinhou a governador para quem a iniciativa representa um impulso nos projectos de desenvolvimento local e combate à pobreza, em curso nos diferentes municípios.

Joana Lina espera que essa acção tenha um impacto positivo na redução dos índices de má nutrição, na prevenção da doença, contra a violência infantil e na manutenção de um baixa nível de contágio da Covid-19 nas comunidades onde o projecto será implementado.

O representante da UNICEF em Angola, Glayson Ferrari dos Santos, disse que independentemente da pandemia, a missão da Organização é sempre o de preservar e advogar os direitos da criança.

Segundo a representante da UNICEF, a intenção do organismo, a nível global, é o de ampliar os programas de protecção social durante a pandemia.

A ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Inglês, disse a propósito, que o programa piloto das transferências sociais monetárias prevêem um valor mensal de cinco (5) mil Cuanzas por criança, durante seis meses.

No caso de três crianças por família, que o número limite, o valor eleva-se para 15 mil kwanzas, durante 12 meses, período que durará o projecto.

Adiantou que o projecto incide directamente sobre a criança na primeira infância.

Faustina Inglês adiantou que o programa concorre para as metas do Plano Nacional de Desenvolvimento (2018/2022) que, no seu primeiro eixo, destaca o desenvolvimento humano e bem-estar, bem como o Programa Integrado de Desenvolvimento local e combate à pobreza.

Fonte: Angop

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: