SJA enaltece entrega dos profissionais na luta contra covid-19

0

O Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) enalteceu, neste domingo, o esforço dos profissionais da imprensa na luta contra a pandemia da covid-19.
Na mensagem sobre o 3 de Maio, Dia  Mundial da Liberdade de Imprensa, reafirma a necessidade de as empresas do sector garantir as condições de biossegurança aos profissionais, por forma a reduzir a sua exposição ao risco de contágio.

O SJA considera, por outro lado, ser uma oportunidade para reafirmar a necessidade de não se recusar a classe jornalística uma auto-regulação capaz de tutelar a sua deontologia e proteger a sua dignidade profissional.

Destaca o facto de a data se celebrar  sobre um ambiente de apreensão de muitos jornalistas angolanos, assustados pela possibilidade de perderem os seus empregos devido às dificuldades vividas pelas empresas privadas.

Jornalistas defendem mais abertura

Ainda a propósito do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, várias actividades foram realizadas país a dentro para assinalar o 3 de Março.
Em Malanje, os jornalistas defendem maior abertura dos organismos do Estado e de outras fontes de informação, tendo em vista um maior acesso à informação e o exercício de um jornalismo cada vez mais imparcial e plural.

Essa posição foi defendida neste domingo, por alguns jornalistas entrevistados pela Angop, entre os quais Pedro Tavares (Rádio Malanje), Celestino Caculo (TPA) e o primeiro secretário do Comité de Especialidade dos Jornalistas do MPLA em Malanje, Ferreira Júnior.

Governo provincial do Zaire enaltece jornalistas

O governo provincial do Zaire destacou, neste domingo, em Mbanza Kongo, o papel e o empenho dos profissionais da comunicação social na região.
Numa mensagem de felicitações, o governo provincial reitera o seu empenho em prosseguir com as acções em prol do fortalecimento da comunicação social nesta parcela do território nacional, cuja missão favorece o exercício da cidadania e o reforço da democracia em Angola.

“O governo provincial reconhece o papel e o empenho da classe de defender e preservar o estado de direito, numa altura em que a Nação angolana empreende esforços para a diversificação da economia e para o combate à corrupção”, lê-se ainda no comunicado.

O 3 de Maio foi instituído em 1993, pela Unesco e aprovado pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

O dia foi escolhido por se tratar da data do aniversário da Declaração de Windhoek, aprovada durante um seminário organizado pela UNESCO sobre a “Promoção da Independência e do Pluralismo da Imprensa Africana”, realizado em Windhoek, Namíbia, de 29 de Abril a 3 de Maio de 1991.

A Declaração considera a liberdade, a independência e o pluralismo dos médias como princípios essenciais para a democracia e os direitos humanos.

Angop

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: