PR visita fábricas de gases e de metalomecânica

0

O Presidente da República, João Lourenço, visitou hoje (quarta-feira) duas unidades fabris em Viana, uma dedicada à produção de gases industriais e hospitalares, e outra de produção de estruturas metálicas e pontes.

Presidente da República, João Lourenço (à esq.), durante a visita à fábrica Acail Gás


Situada no pólo industrial do Kikuxi, em Viana, a unidade de metalomecânica conta com 50 trabalhadores, dos quais 47 nacionais e sete expatriados, que se dedicam à produção de materiais metálicos para edificação de pavilhões, pontes, armazéns e edifícios.
Conta, também, com 30 funcionários terciarizados para a montagem de infra-estruturas compradas na fábrica, indicou o director geral da empresa, Octávio Mourão.
Edificada numa área de quatro mil metros quadrados, a fábrica tem capacidade para produzir mensalmente mais de 170 toneladas de equipamentos de metalomecânica.
O grupo Afriperfil investiu nesse projecto cerca de três milhões de dólares norte-americanos.
A matéria-prima que era importada para a produção de perfilagem de chapas, caldeira de água e perfis de remates já é produzida localmente.

Fábrica de gases industriais e hospitalar (ACAIL)

Com um investimento avaliado em 175 milhões de dólares norte-americanos, a fábrica de gases industriais e hospitalar (ACAIL), situada no Pólo Industrial de Viana, em Luanda, resulta de um investimento privado.
A unidade, que tem uma capacidade instalada para produzir 25 mil litros de gases por dia, tem entre os seus principais produtos o oxigénio líquido medicinal, equipamentos médicos e material hospitalar.
Em declarações à imprensa, a presidente do Conselho de Administração da ACAIL, Ana Paula Andrade, sublinhou o facto de Angola ser auto-suficiente na produção de gases medicinais, o que permite atender, internamente, as diferentes unidades hospitalares.
“O país não precisa importar gases”, afirmou a gestora, acrescentando que a unidade industrial tem capacidade para aumentar a sua produção na ordem das 100 toneladas diárias.
A fábrica, que actualmente produz 30 toneladas de cada tipo de gás, nomeadamente, oxigênio e nitrogênio, tem na lista de clientes os hospitais do Prenda, Lucrécia Paim, Américo Boavida, Sanatório e Pediátrico, ambos de Luanda.
Para 2020, Ana Paula Andrade perspectiva a abertura de linhas de produção no Lobito, província Benguela, e em Cabinda.
Ao se referir a visita do Presidente João Lourenço à ACAIL, a gestora disse que “representa muito”, pois é o reconhecimento do trabalho que realiza, sublinhando que a produção da fábrica é “inteiramente nacional”.
As visitas fazem parte da jornada de campo de dois dias que o Presidente da República cumpre, desde hoje à cidade de Luanda.
Para quinta-feira (19) está reservado a inauguração da Centralidade do Zango 5, a meio da manhã, precedida da entrada oficial em funcionamento do Centro de Hemodiálise do Hospital Geral de Luanda.
A visita do Presidente da República à província de Luanda termina na tarde do mesmo dia no Projecto Integrado de Desenvolvimento Agrícola e Regional da Quiminha, no município de Icolo e Bengo.

Fonte: Angop/AF

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: