Polícia prepara drones para vigiar a fronteira

0

O comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, garantiu ontem que, dentro em breve, a fiscalização da fronteira a sul da província de Cabinda com a RDC será feita com o auxílio de drones e um sistema de iluminação nocturna com um raio de acção de dez quilómetros.

Paulo de Almeida, que está desde ontem em Cabinda, incentivou os efectivos da Polícia de Guarda Fronteira estacionados em diversas unidades ao longo da fronteira com as Repúblicas Democrática do Congo e Congo Brazzaville a manterem o estado de vigilância permanente, no quadro das medidas de prevenção e contenção do Coronavírus.

O comissário-geral Paulo de Almeida está em Cabinda, no âmbito do programa de visitas às províncias fronteiriças para avaliar as condições técnicas e de trabalho dos efectivos estacionados nos postos fronteiriços. Em Cabinda, o comissário-geral Paulo de Almeida manteve um encontro de trabalho com os órgãos operativos da Polícia Nacional e da delegação provincial do Ministério do Interior. Foi informado sobre o estado de cobertura da fronteira entre Angola e as Repúblicas Democrática do Congo e Congo Brazzaville, bem como da situação de segurança pública na província.

À chegada, Paulo de Almei-da disse à imprensa que o ob-jectivo da visita consiste em trazer conforto e solidariedade aos efectivos da Polícia Nacional em Cabinda, particularmente os da Guarda Fronteira, que têm estado a desempenhar um trabalho digno de realce com vista ao reforço e garantia da ordem e tranquilidade nesta fase da prevenção da Covid-19. “Trazemos algumas orientações que visam melhorar e reforçar a eficiência do nosso trabalho na fronteira. Por isso viemos para fiscalizar como está a ser implementada a directiva operativa que gizamos para melhor reforço e prevenção das nossas fronteiras”, afirmou.

Apesar de considerar “controlada” a situação epidemiológica da província de Cabinda, o comandante-geral da Polícia Nacional mostrou-se preocupado em relação à transmissão comunitária da Covid-19 nos países vizinhos e deixou orientações precisas para conter a entrada ilegal de estrangeiros no país, através das vias clandestinas.

Lembrou que a Polícia Na-cional está a reforçar as medidas de segurança nas fronteiras entre a província de Cabinda e os países vizinhos, no quadro da prevenção e contenção do novo coronavírus no país. Depois de visitar os postos fronteiriços de Tendequele, Yema e Luvassa, Paulo de Al-meida elogiou o desempenho dos agentes aí estacionados. Salientou que os mesmos estão a efectuar um bom trabalho de fiscalização e vigilância das fronteiras.
Paulo de Almeida reconheceu o reduzido número de efectivos colocados ao longo dos postos fronteiriços, bem como a falta de meios técnicos e demais equipamentos para combater a imigração ilegal e o tráfico ilegal de combustível entre Cabinda e a RDC.

Na semana passada, o comandante-geral da Polícia Nacional visitou a subunidade da Polícia de Guarda Fronteira destacada na comuna da Pedra de Feitiço, no município do Soyo, Zaire. Na localidade, Paulo de Almeida apelou aos efectivos da Polícia de Guarda Fronteira a redobrarem a vigilância da orla fronteiriça partilhada com a República Democrática do Congo (RDC), no quadro das medidas de prevenção contra o novo coronavírus.

O comandante-geral recebeu informações sobre as principais dificuldades enfrentadas pelos efectivos destacados nos três postos fronteiriços controlados pela subunidade da Polícia de Guarda Fronteira da comuna da Pedra de Feitiço, nomeadamente o reduzido número de efectivos e a insuficiência de meios técnicos.Os habitantes da comuna recorrem ao país vizinho para a aquisição de bens e serviços indispensáveis para a sua sobrevivência. A situação preocupa as autoridades locais, porque as idas constantes à RDC representam um alto risco de contágio, na medida em que este país já regista circulação comunitária do novo coronavírus.

JA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: