OMS reafirma apoio para o combate à Covid-19 e cobertura universal de saúde

0

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vai reforçar o apoio ao Governo de Angola para a melhoria do acesso à saúde de qualidade, e o combate à pandemia da Covid-19, que afecta drasticamente o mundo. A garantia foi prestada hoje, em Luanda, pela nova Representante da OMS em Angola, Dra. Djamila Cabral, durante a apresentação das cartas credenciais ao Ministro das Relações Exteriores, Dr. Téte António. Desde o surgimento do primeiro caso de Covid-19 em Angola, a 21 de Fevereiro do corrente ano, a OMS investiu até a data, cerca de dois milhões de dólares americanos em apoio ao Governo na preparação e resposta à emergência, em diferentes pilares estratégicos. Os apoios incluem, entre outros, o reforço das capacidades para o rastreio e detecção de casos positivos; formação de técnicos e aquisição de equipamento e testes para laboratórios; compra de materiais essenciais para o combate à doença; sensibilização das populações sobre as medidas de prevenção; bem como o reforço das capacidades nacional para manter os outros programas essenciais de saúde.

Segundo o Ministro das Relações Exteriores, Dr. Téte António, o Governo de Angola considera a OMS um parceiro crucial, com o qual desenvolve uma excelente parceria, não somente pelo trabalho positivo que tem vindo a desenvolver em apoio ao combate à Covid-19, mas sobretudo pelo profissionalismo demonstrando durante vários anos de trabalho conjunto, em prol da saúde e bem-estar dos angolanos”.

“A nova Representante da OMS chega ao nosso país num momento crucial em que a pandemia da Covid-19 afecta a todos e requer o apoio de todos. Quero transmitir as nossas boas vindas, e o apoio incondicional para trabalharmos juntos, inovar, combater o coronavírus, e garantir a melhoria da saúde da nossa população”.

Durante o último quinquénio, os investimentos realizados pela OMS em apoio ao Governo, têm contribuído para a melhoria da saúde no país, designadamente através de acções que visam o fortalecimento do sistema de saúde, incluindo o desenvolvimento de recursos humanos, elaboração/atualização de políticas, planos estratégicos e

Durante o último quinquénio, os investimentos realizados pela OMS em apoio ao Governo, têm contribuído para a melhoria da saúde no país, designadamente através de acções que visam o fortalecimento do sistema de saúde, incluindo o desenvolvimento de recursos humanos, elaboração/actualização de políticas, planos estratégicos e normas nacionais relativas à saúde materno-infantil, malária, VIH/SIDA, tuberculose, hepatite B, e doenças tropicais negligenciadas, e o reforço do sistema de informação e investigação em saúde; a melhoria do sistema nacional de vacinação e a erradicação da poliomielite; assim como a implementação do sistema de alerta precoce, desenvolvimento de estratégias de gestão de riscos, e resposta às epidemias e emergências de saúde publica.

Para o biénio 2020/2021, a OMS e o Ministério da Saúde definiram como prioridades que nortearão o trabalho conjunto, o apoio para a melhoria do acesso a serviços essenciais de saúde de qualidade; o reforço da preparação e resposta as emergências de saúde publica; a redução dos factores de risco para a saúde através de acção multissectorial; e o fortalecimento das capacidades de produção e utilização de dados, e inovação. No total, a OMS espera investir 42,000.000 milhões de dólares americanos para a execução das acções estratégicas planificadas.

De acordo com a nova Representante da OMS, Dra. Djamila Cabral, Angola pode contar com o seu apoio incondicional para reforçar as acções em curso para o combate à Covid-19 e acelerar as acções que visam alcançar a cobertura universal de saúde.

“Tenho muita honra em poder servir Angola. Vamos continuar a trabalhar arduamente com todos os parceiros chave, para intensificar a nossa contribuição para a melhoria da saúde dos angolanos, dentro do contexto da realização dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável”.

Djamila Cabral, de nacionalidade guineense, é doutorada em medicina desde 1987 pela Universidade de São Paulo, Brasil, e Mestre em Demografia pela Universidade Católica de Louvain, Bélgica. Além de Angola, foi Representante da OMS em Moçambique, Burkina Faso, e Costa do Marfim, e Coordenadora da equipa de apoio inter-países da OMS para África do Oeste.

Fonte: https://www.who.int/eportuguese/publications/pt

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: