Nove propostas para Refinaria do Soyo em avaliação

0
Maquete de uma outra refinaria a ser construida no país

Nove propostas de empresas nacionais e estrangeiras, das 15 que deram entrada no Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos (Mirempt), para a construção da Refinaria do Soyo, província do Zaire, foram aceites e vão para fase de avaliação.
Com base no concurso público internacional, lançado a 24 de Outubro último, 31 empresas manifestaram interesse em participar do concurso, mas apenas 15 apresentaram propostas para construção da refinaria que terá uma capacidade para processar 100 mil barris de petróleo/dia.
Estão em avaliação propostas das empresas SDRC, JIANGSU SINOCHEM CONSTRUTION, CO, QUANTEN CONSORTIUM, CME, AIDA e VSF, TOBAKA, INVESTMENT GROUP, ATIS NEBEST-ANGOLA, SATAREM, GEMCORP CAPITAL e CPP.
Os dias 5 e 06 de Março estão reservados para análise das propostas, enquanto o anúncio do vencedor está marcado para dia 31 do mesmo mês, de acordo com o cronograma de acções do Mirempt.
O concurso público, autorizado pelo Decreto Presidencial 150/19 de 16 de Agosto, tem por finalidade suprir as necessidades internas na produção dos derivados de petróleo no país.
Apesar de ser o segundo maior produtor de petróleo bruto da África Subsariana, com uma produção de 1,4 milhões de barris/dia, Angola importou, no quarto trimestre do ano transacto, 69 por cento de combustível refinado líquido, enquanto os 31 por cento foram refinados no país, principalmente, pela Refinaria de Luanda (29%).
Ao falar à imprensa, na abertura das propostas para a construção da refinaria do Soyo, o secretário de Estado dos Petróleos, José Barroso, afirmou que no processo de entrega das propostas, que encerrou na última quinta-feira (30), foram entregues 15 processos, e destes, nove foram validadas e serão avaliados durante um mês.
Espera-se que no período de três a quatro anos, após o anúncio da construtora vencedora, seja concluída a construção da referida refinaria.
Ao justificar a intenção do Executivo, sublinhou ser objectivo do Governo a implantação de uma refinaria 100 por cento privada, com uma capacidade para processar 100 mil barris/dia.

Fonte: Angop/AF

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: