Ministra destaca importância da preservação cultural

0
MINISTRA DA CULTURA, MARIA DA PIEDADE DE JESUS, NO ACTO CENTRAL DO DIA DA CULTURA NACIONAL

Os momentos de manifestação cultural nacional devem ser preservados e perpetuados, como forma de honrar a memória dos agentes culturais e de transmitir às gerações mais novas, destacou nesta quarta-feira em Luanda, a ministra da Cultura, Maria de Jesus.
Falando no acto central do Dia da Cultura Nacional, assinalado hoje (8 de Janeiro), lembrou os grandes momentos de exaltação da cultura nacional, como as duas edições do Festival Nacional de Cultura (Fenacult – 1989 e 2014), estando prevista este ano a realização da terceira edição.
Augurou que seja uma realização integradora com os diversos produtores e agentes culturais, e que seja igualmente coroada de êxito, por coincidir com a comemoração do 45º aniversário da proclamação da independência.
A realização da 1ª edição da Bienal de Luanda (Setembro de 2019), a inscrição de Mbanza Kongo, em 2017, na lista de Património Cultural da Humanidade, que impulsionou a realização da 1ª edição do Festival Internacional da Cultura Kongo (Festikongo), são outros feitos de grande importância no sector.
A cerimónia, realizada no Centro de Animação do Cazenga (Animart), foi marcada com a abertura de uma feira das indústrias culturais, bem como o lançamento de dois projectos “Cultura no meu bairro” e “Batucada de Carnaval”.
Na feira, a decorrer até sexta-feira, estão expostos itens da cultura nacional do país, com destaque para pintura, culinária e equipamentos musicais.
Já os projectos culturais, o primeiro visa descoberta de percussionistas e o segundo resgatar e promover o carnaval de rua.
No que diz respeito ao registo internacional do património angolano, a ministra fez saber que vão continuar a trabalhar para a elevação a património da humanidade do sítio da Batalha do Cuito Cuanavale, o corredor do Kwanza e as pinturas rupestres do Tchitundu Hulu, entre outros bens.
“Não podemos esquecer a nova dinâmica que pretendemos imprimir ao domínio do cinema em Angola, com a participação em festivais nacionais e internacionais, visando melhorar e modernizar a produção cinematográfica e audiovisual, enquanto formas de expressão artificial”, frisou.
O acto central foi antecedido da deposição de uma coroa de flores na estátua do primeiro Presidente do país, Agostinho Neto, sita no Largo da Independência, orientado pela ministra da Cultura, ladeada pelo governador de Luanda, Sérgio Luther Rescova.

Fonte: Angop/AF

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: