Mercado automóvel recuou 41 por cento ao longo do ano

0

Os concessionários venderam 929 veículos no primeiro semestre deste ano, uma redução de 41 por cento face ao mesmo período do ano passado, quando as vendas se situaram em 1.577 automóveis, de acordo com números da Associação dos Concessionários de Equipamentos de Transporte Rodoviário e Outros (Acetro).

Os dados prevêem um avanço que, em Dezembro, situa as vendas totais do ano em 2.259 veículos, menos 26 por cento que os 3.073 automóveis vendidos em 2019, acentuando o processo de degradação desse mercado posterior a 2014, quando as vendas ascendiam a 44.536 veículos.

Os números, obtidos de cálculos disponíveis na Acetro, indicam que, no primeiro semestre, apenas 27 dos 44 concessionários registaram vendas, mais de 60 por cento das quais concentradas na Toyota de Angola, TDA, Cosal, Lusolanda, Angolauto e Asperbras.

Essas cinco companhias lideram o “Top 5” do ranking da Acetro relativo ao primeiro semestre, quando a Toyota de Angola concluiu a negociação de 180 veículos e obteve uma quota de mercado de 19,38 por cento, números que na TDA são de 94 e 10,12 por cento, Cosal 78 e 8,40, Lusolanda 77 e 8,29, Angolauto 70 e 7,53 e Asperbras 68 e 7,32.

Os dados disponíveis indicam que o mercado automóvel vem de um ano de 2019 caracterizado pelas perdas, em que as vendas caíram para 3.073 veículos no seguimento da retracção iniciada de forma acentuada em 2015.

No ano passado, o mercado foi dominado pela Cosal, com 398 vendas e 12,95 por cento de quota de mercado, Toyota de Angola (362 e 11,78), TDA (333 automóveis Nissan e 329 Renault ou 10,84 e 10,71 por cento) e Imporáfrica (264 e 9,59 por cento).

Naquele período, 19 de 38 concessionários não notificaram operações de venda, com destaque para representantes dos ligeiros de passageiros Dodge, Chevrolet, Chrysler, BMW, Porsche, Peugeot, Mazda e Seat, ou os pesados Iveco, Renault Trucks e Scania.

Ciclo de recuperação

A Acetro prevê uma recuperação do mercado automóvel de 10,4 por cento em 2021, numa tendência que se consolida em 2022, com uma expansão das vendas de 39,8 por cento.  Os números da Acetro ilustram o período posterior a 2014, quando de 44.536 veículos, as vendas caíram em 53,8 por cento, para 20.584 no ano seguinte, algo que se acentuou em 2016 com uma queda de 55,4 por cento, para 9.178 veículos.

Em 2017, o ritmo de queda das vendas no mercado automóvel iniciou um ciclo de abrandamento, caindo 53,2 por cento, com 4.298 veículos negociados.
As projecções da Acetro apontam para uma nova escalada de perdas de crescimento este ano, de 26,5 por cento, antes da recuperação prevista para os dois anos seguintes, quando se esperam vendas de 2.494 e 3.488 automóveis.

Fonte: JA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: