MED enquadra novos professores em Junho

0

Os professores admitidos no concurso público de 2019, realizado pelo Governo, começam a laborar a partir de Junho, em diferentes escolas públicas do país.

A informação foi avançada essa quarta-feira, pela directora de recursos humanos do Ministério da Educação (MED), Laudemíra de Sousa, que disse pretenderem concluir, em Maio, o processo de admissão, com a inserção dos admitidos no Sistema Financeiro.

“O processo de admissão passa por várias etapas depois da publicação dos resultados dos exames: entrega de processos, assinatura de contratos e inserção no Sistema Financeiro”, explicou à ANGOP.

Depois da inserção no Sistema Financeiro, Laudemira de Sousa assegurou que os professores passam a usufruir dos seus salários, a partir do dia 1 de Junho.

Durante o mês de Maio, avançou, os candidatos admitidos serão submetidos a um processo de formação, de 20 dias, para depois serem distribuídos pelas escolas.

A responsável apelou à calma dos candidatos pela demora na conclusão do processo, frisando que se deve à crise actual provocada pela pandemia da covid-19.

“Infelizmente, não é por culpa do MED. Mas, por esta altura, estamos a fazer tudo para fecharmos o processo. Agora é só esperarem que a partir de Junho começam a receber os salários e com as guias de colocação vão aonde forem indicados”, declarou.

Neste processo, segundo a fonte, não estão ainda incluídos os candidatos das províncias do Bengo e da Lunda Norte, cujos processos estão a ser reavaliados devido às irregularidades constatadas.

“Os candidatos destas duas províncias ainda não terão a situação resolvida, porque está em fase de conclusão a reavaliação dos processos”, informou.

Cada uma destas duas províncias tem uma quota de 489 vagas que, de acordo com Laudemira de Sousa, serão preenchidas pelos candidatos admitidos com os requisitos exigidos.

O MED disponibilizou, em 2019, um total de 10 mil vagas, sendo que 14 províncias tiveram direito a 489 lugares cada uma, enquanto Bié, Malanje e Zaire beneficiaram, cada uma, de mil.

A província de Luanda foi a que menos lugares teve direito, com apenas 154 vagas, todas destinadas à Escola Nacional de Arte.

Em 2018 foram admitidos, por via de concurso público, 19.288 novos docentes para o ensino geral.

Dados disponíveis indicam que o  sistema nacional do ensino geral conta, actualmente, com 200 mil professores.  

Angop

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: