Jovem perde a vida depois de atirar-se do 9º andar

0

Um jovem, de 18 anos, morreu na madrugada de sexta-feira, depois de na noite do dia anterior, se ter atirado do nono andar do edifício onde residia com os pais, na Centralidade do Mussungue, Distrito Urbano com mesmo nome, na cidade do Dundo, capital da província da Lunda-Norte apurou o Jornal de Angola junto de fontes familiares.
Contactado pelo Jornal de Angola, a partir do Hospital Geral David Bernardino, onde pouco depois do incidente foi levado para receber assistência, o pai da vítima explicou que o incidente aconteceu por volta das 21h00, de quinta-feira, na Zona 5 da Centralidade do Mussungue. 
Visivelmente consternado com o fatídico acontecimento, Pinto Palata disse que tão logo chegou por volta das 20h00, encontrou o filho com duas facas nas mãos e, ao mesmo tempo, ameaçava cometer homicídio voluntário contra qualquer membro da família presente. 
Pinto Palata disse que além do consumo de álcool, o filho teria antes ingerido supostamente também outro tipo de droga, que o levaram a apresentar comportamentos agressivos perante a família. 
“Encontrei-lhe com duas facas nas mãos, ameaçando matar qualquer pessoa de casa. Ajoelhei-me pedindo desculpas para que mantivesse a calma, e foi assim que ele cedeu e recebemos as facas “, disse.
Quando tudo apontava que a confusão estava controlada, o filho saiu do apartamento, minutos depois voltou com os ânimos exaltados com o objectivo de arrombar as portas de casa, vai daí o progenitor ter chamado a Polícia Nacional para impedir tumultos. 
“Achei por bem chamar a Polícia Nacional para que o levassem à esquadra até ter os ânimos controlados. Mas assim que ele viu a viatura da corporação saiu do quarto andar onde está o nosso apartamento para o nono, passou pela janela do corredor e ainda ficou alguns minutos suspenso com as mãos presas à janela, depois largou-as, atirando-se para baixo do prédio“, explicou. 
Com ajuda dos vizinhos do prédio, o jovem foi levado para o hospital onde entrou em estado de coma, e não resistiu aos graves ferimentos na cabeça e à madrugada, foi declarado morto. 
Pinto Palata revelou que o filho, desde que começou a consumir bebidas alcoólicas passou a apresentar comportamentos agressivos em casa e fora dela. “Mesmo estando sob efeito de álcool nunca foi violento”, afirmou. 
Depois de duas vezes consecutivas ter reprovado na escola, devido ao fraco desempenho e aproveitamento escolar na 7.ª classe, no Complexo Escolar “Delegado Eusébio Nelson, o jovem de acordo com o pai foi no ano passado transferido para outra escola no bairro Satxindongo, onde acabou por transitar. Neste ano lectivo, devia frequentar a 8.ª classe. 
O Jornal de Angola tentou contactar a equipa médica de serviço naquele fatídico dia, mas ninguém aceitou falar, alegando falta de autorização. 
Desde 2015, altura que começou a receber os moradores, este é o quarto caso de suicídio registado na Centralidade do Mussungue, envolvendo jovens com idades entre 17 a 35 anos.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: