Inamet alerta para temperaturas muito baixas nas regiões centro e sul do país

0

As províncias do Centro e Sul do país vão registar, durante os próximos três meses, temperaturas muito baixas, que devem rondar entre cinco e dez graus centígrados, devendo nessa altura haver ainda a ocorrência de chuvas, deu a conhecer, ontem, em Luanda, o Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (Inamet).

Numa conferência de imprensa, a propósito da entrada em vigor da época do cacimbo, a partir de hoje, o meteorologista António Gaspar disse que haverá uma descida gradual da temperatura do ar, onde todas as manhãs serão húmidas, com o aumento da pressão atmosférica e da humidade relativa. Bié, Huambo, Huíla, Cunene, Cuando Cubango,

Moxico e alguns municípios de Benguela, Cuanza-Sul e Malanje devem registar temperaturas mínimas, a variar entre os cinco e dez graus centígrados, enquanto que as províncias do Litoral e Norte os termómetros vão rondar de 12 a 20 graus.

De acordo com o meteorologista, o Inamet prevê para a província de Luanda temperaturas mínimas entre 14 a 16 graus centígrados, durante os meses de Junho e Julho deste ano. O período de calor, conhecido por época chuvosa, termina efectivamente hoje, 15 de Maio, em toda a extensão do território angolano, dando lugar à época de cacimbo, que este ano vai registar mudanças significativas dos elementos meteorológicos, disse o especiaista António Gaspar.

“É importante destacar que depois de 15 de Maio ainda podemos registar alguns episódios de chuvas, associados ao padrão de circulação atmosférica da região”, disse o especialista, sublinhando que havemos de ter uma época com muito frio, principalmente no Centro e Sul do país. Segundo o especialista, as alterações dos elementos meteorológicos não são homogéneos em todo território nacional, sendo que as províncias do Centro e Sul poderão apresentar características mais cedo, ao passo que as do

Litoral e Norte um pouco mais tarde, podendo verificar-se episódios de precipitação ocasionais durante o período transitório.

Instado a explicar a razão da mudança de época, a partir de 15 de Maio, António Gaspar disse que as datas foram fixadas a partir de um estudo estatístico das séries climatológicas de vários elementos meteorológicos (diminuição da temperatura do ar, aumento da pressão atmosférica, diminuição relativa, vento, precipitações e nebulosidade), num período relativamente vasto, para a determinação do tipo de clima a enfrentar.

JA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: