Guiné-Bissau: primeiro-ministro e “boa parte” do Governo infectados

0

Nuno Nabiam, chefe do Governo há dois meses, assumiu ter covid-19. Vários governantes estão contaminados e estado de emergência foi prolongado pela terceira vez.

“Estou em casa e sinto-me bem”, garante o primeiro-ministro da Guiné-Bissau. Nuno Nabiam, no cargo desde 28 de fevereiro, está infetado com o novo coronavírus e reconhece que o mesmo acontece com “boa parte dos membros da Comissão Interministerial”. A informação fora dada pelo ministro da Saúde, António Deuna, na televisão estatal guineense.

Sabe-se que pelo menos três outros governantes foram contagiados. São o ministro do Interior, Botche Candé, o secretário de Estado da Ordem Pública, Mário Fambé, e a secretária de Estado do Ambiente e Biodiversidade, Mónica Buaro. Fonte governamental contactada pela agência Lusa disse que irá ser requisitada uma unidade hoteleira para instalar os governantes infetados com covid-19.

“Neste momento uma equipa de técnicos do Ministério da Saúde Pública estão na minha residência a proceder a colheitas dos meus familiares e pessoas mais próximas”, escreveu Nabiam na rede social Facebook.

Enquadra o diagnóstico no “risco que assumimos desde o início para enfrentar esta batalha contra a covid-19” e conta que esteve “sempre na vanguarda juntamente com todos, incluindo o pessoal de saúde que diariamente enfrenta riscos de contágio”. As infeções dos ministros estão relacionadas com a rede de transmissão originada num alto funcionário do Ministério do Interior, que morreu no sábado com covid-19.

É a primeira vítima mortal da covid-19 na Guiné-Bissau, que soma 74 casos e 18 recuperações. Na sua publicação, o primeiro-ministro exorta a população a encarar “seriamente” o risco de saúde pública, porque a doença se “propaga facilmente”. No domingo passado o Presidente Umaro Sissoco Embaló prolongou pela terceira vez o estado de emergência que vigora desde 28 de março, agora até 11 de maio.

As fronteiras da Guiné-Bissau estão fechadas, bem como serviços não-essenciais, restaurantes, bares, discotecas e locais de culto. Os transportes urbanos e interurbanos estão sem circular e as pessoas podem mover-se apenas entre as 7h e as 14h.

GULBENKIAN OFERECE MATERIAL

Terça-feira o país recebeu material de diagnóstico e proteção enviado pela Fundação Calouste Gulbenkian, num voo Lisboa-Bissau-Lisboa que repatriou portugueses retidos no país africano e também a antiga ministra Ruth Monteiro

Segundo a agência Lusa, o material inclui 500 kits de análise PCR e respetivos reagentes, o que permitirá ao Laboratório de Saúde Pública da Guiné-Bissau realizar mil testes à covid-19. No avião seguiram viseiras, máscaras e batas para os técnicos de laboratório.

A Gulbenkian reforçou também o apoio à Direção de Serviços de Saúde Comunitária da Guiné Bissau através da ONG Vida, que tem no terreno um projeto de comunicação e sensibilização para a pandemia.
Fonte: Expresso/BA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: