Governo da Líbia apoiado pela ONU saúda apelos para um cessar-fogo

0

O governo, sediado em Tripoli e dirigido pelo primeiro-ministro Fayez al-Sarraj, divulgou um comunicado na quarta-feira à noite expressando total apoio a “quaisquer apelos sérios ao recomeço do processo político e à eliminação do espetro da guerra”.

Os presidentes turco, Recep Tayyip Erdogan, e russo, Vladimir Putin, pediram na quarta-feira, após uma reunião em Istambul, um cessar-fogo a partir de domingo da guerra entre as forças leais ao governo de Sarraj e o Exército Nacional Líbio (ENL), do marechal Khalifa Haftar, homem forte do leste líbio.
Erdogan e Putin não mencionaram no seu comunicado as condições do sugerido cessar-fogo.
Tripoli é alvo desde abril de uma ofensiva do ENL, que luta pelo controlo da capital líbia.
As forças de Haftar ainda não responderam oficialmente aos apelos turco-russos de um cessar-fogo, segundo a agência norte-americana Associated Press.
Na terça-feira, o Alto Representante da União Europeia para a Política Externa reiterou o apelo ao fim das hostilidades na Líbia, após uma reunião como os ministros de França, Alemanha, Itália e Reino Unido, em Bruxelas.
O chefe da diplomacia da UE, Josep Borrell, pediu igualmente o fim da “interferência externa” naquele país do Magrebe, a propósito do envio de tropas turcas para ajudar o governo de Sarraj.
A Líbia conta atualmente com dois “governos”, um em Tripoli e outro no leste. A nível regional, o de Sarraj recebe ajuda da Turquia e do Qatar, enquanto o ligado a Haftar é apoiado pela Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos e o Egito, rivais de Ancara.
A guerra civil ameaça fazer mergulhar a Líbia num caos semelhante ao que se seguiu à queda do ditador Muammar Kadhafi em 2011.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: