França promete vacina a todos os adultos a partir de 15 de junho

0

As pessoas com mais de 50 anos poderão receber a vacina a partir de 15 de maio, acrescentou.

Por enquanto, a vacinação está aberta a quem tem 55 anos ou mais, sendo necessários motivos médicos específicos para ser vacinado abaixo dessa idade, exceto no caso dos trabalhadores com profissões consideradas prioritárias.

Hoje, Macron esclareceu a nova programação da vacinação numa série de ‘tweets’, agregados pela mensagem “Vacinar, vacinar, vacinar”.

“Se tem 50 anos ou mais: apresente-se em 15 de maio para se vacinar”, e “se tem 18 anos ou mais: apresente-se em 15 de junho para se vacinar”, escreveu.

“Se tem 18 anos ou mais e é vulnerável: pode vacinar-se a partir deste fim de semana. Marque uma consulta em sante.fr”, acrescentou.

Um pouco antes, o ministro da Saúde, Olivier Véran, tinha anunciado um alargamento da vacinação a “mais quatro milhões de franceses vulneráveis”, que “sofrem de doenças crónicas”.

Esse alargamento abarca todos os adultos com patologias incluídas na lista que permitia, até agora, a vacinação àqueles com idade entre os 50 e os 54 anos.

Esta lista precisa inclui, em particular, doenças cardiovasculares, “hipertensão complicada” (e não hipertensão corrente), obesidade ou história de acidente vascular cerebral.

Nos últimos dias, muitas vozes se levantaram para exigir que a França abrisse completamente a vacinação.

O país já administrou a vacina anti-covid-19 a mais de 15 milhões de pessoas (29% da população adulta), das quais 6,2 milhões receberam as duas doses (9,3% da população total, 11,9% da população adulta).

Macron anunciou na quinta-feira que o desconfinamento vai fazer-se de forma faseada até 30 de junho, com a reabertura progressiva dos museus, restaurantes e cafés, assim como o fim do recolher obrigatório.

Segundo adiantou, a partir de 19 de maio, o recolher obrigatório passa para as 21:00 e reabrem esplanadas, museus, cinemas e teatros, assim como espaços desportivos, sendo que, a partir de 09 de junho, o recolhimento é adiado para as 23:00 e graças ao passe sanitário, passa a ser possível ver espetáculos com mais de 5.000 pessoas, acolher estrangeiros e frequentar restaurantes e ginásios.

A última fase começa a 30 de junho, deixando de haver recolher obrigatório, com ajustes dependendo da situação sanitária no que diz respeito aos grandes eventos.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: