Executivo prevê criar 83 mil empregos até 2021

0

A ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS), Teresa Dias, disse, ontem, em Luanda, que o Executivo prevê criar, até 2021, cerca de 83 mil empregos directos para os jovens. Teresa Dias falava no acto de lançamento da campanha de divulgação dos feitos do Executivo, apresentada pelo Movimento Nacional Angola Avante (MONAA).

Teresa Dias indicou que a nível das províncias do Cuando Cubango, Uíge, Huíla e Namibe, o Programa de Acção de Promoção de Empregabilidade já está a ser concretizado, através de acções de micro-crédito, auto-emprego com kits de empregabilidade e formação profissional.
A ministra reconheceu as dificuldades por que passa o  país, agravada pela pandemia da Covid-19, tendo aconselhado as empresas a não despedirem trabalhadores sem justa causa. “Tem sido um desafio enorme, nesta fase, conseguir garantir a manutenção e aumento da empregabilidade. O novo coronavírus trouxe muitas consequências e o desemprego é uma delas”, sublinhou.

O MONAA informou que o Executivo enquadrou, nos sectores da Educação, 300 mil novos professores e funcionários administrativos e na Saúde sete mil funcionários, entre médicos, enfermeiros, técnicos médios de enfermagem, farmacêuticos, analistas, auxiliares de limpeza, técnicos de raio X e especialistas em diversas áreas.

Os dados sobre a acção do Executivo revelam ainda que no sector da Justiça foram enquadrados três mil funcionários e 12 mil cadetes nos institutos de ensino militar. Os dados destacam, também, os empregos temporários.
Sobre a implementação do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), o Movimento Nacional Angola Avante destacou que estão em curso a construção de 350 unidades hospitalares,  670 escolas e 2.800 quilómetros de estradas.

Projectos em Luanda

O vice-governador de Luanda para o sector Político e Social, Dionísio da Fonseca, em representação da governadora, enalteceu a iniciativa do MONAA. Dionísio da Fonseca considerou necessário dar prioridade aos investimentos nas infra-estruturas básicas de apoio ao desenvolvimento, na melhoria do nível de vida, oferta habitacional, sobretudo com programas  de auto-construção dirigida e promoção de projectos residenciais privados, assim como a melhoria do abastecimento de água e energia em articulação com as empresas públicas do sector.

O vice-governador informou que, no quadro do PIIM, a província de Luanda conta, neste momento, com 185 projectos, entre os quais escolas, postos e centros de saúde e vias de comunicação, 124 dos quais já aprovados. “Em termos de aposta estratégica, preconizamos, para a capital, a existência de serviços avançados, recursos humanos qualificados , uma plataforma de fluxos internacionais e redes de pequenos negócios”, sublinhou.

O secretário-geral do MONAA, Evaristo Mateus Vany, disse que a campanha serve para o reforço da coesão social, da cidadania, patriotismo, democracia e promoção de uma governação participativa e inclusiva. “Somos uma organização de direito angolano, cujo objectivo é buscar conhecimento por via de pesquisas científicas, com base em análises extensivas de dados, associada a inquéritos, entrevistas e consulta documental. Por esse motivo, decidimos apresentar essa campanha sobre os feitos do Executivo, liderado pelo Presidente da República, João Lourenço”, concluiu.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: