Executivo garante concursos para a Saúde e a Educação

0

A realização de concursos públicos anuais para a admissão de novos profissionais nas áreas da Saúde e da Educação são provas da aposta do Executivo no sector Social, garantiu ontem, em Luanda, o Presidente da República, João Lourenço.

Em breves declarações à imprensa no termo da visita de campo em que inaugurou a segunda fase do Centro Ortopédico e de Reabilitação Polivalente Dr. António Agostinho Neto, em Viana, o Presidente João Lourenço garantiu que os concursos vão continuar a ser feitos anualmente. Entretanto, o que vai variar é o número de vagas em cada concurso público. 

“O país terá sempre concursos públicos. Desde que abrimos o primeiro, o compromisso é fazermos concursos públicos todos os anos, quer para o sector da Saúde, quer para a Educação”, realçou o Presidente da República.
O que é discutível, esclareceu na ocasião, é o número de vagas a abrir em cada um dos sectores que não é sempre o mesmo. “Vai variar de ano para ano consoante os recursos que o Estado tiver”, sublinhou João Lourenço.
A justificar o investimento, o Presidente da República lembrou que, neste último ano e meio, sobretudo no início do ano passado, o Executivo tem vindo a prestar uma “atenção muito especial” ao sector Social, concretamente aos domínios da Educação e da Saúde.
No domínio da Saúde, João Lourenço indicou que estão em execução vários projectos, como é o caso do novo hospital sanatório e de vários centros de hemodiálise. “O Executivo está bastante focado em atender os sectores da Saúde e da Educação e colocá-los ao serviço das populações”, disse o Presidente da República, para quem, “a julgar pelo que já fizemos neste pouco tempo, é fácil adivinhar que faremos muito mais”

Homenagem a Agostinho Neto
O Centro Ortopédico de Viana é, doravante, Centro Ortopédico e de Reabilitação Polivalente Dr. António Agostinho Neto, numa homenagem ao fundador da Nação. Em relação a esta homenagem, o Presidente da República disse ser “merecida, não apenas por ser o fundador da Nação, mas como médico de profissão”. “Dar o seu nome a uma instituição de saúde creio que é honrar o seu nome no seu mês (Setembro), o mês do Herói Nacional”, disse.
O Titular do Poder Executivo assegurou que se vai continuar a construir centros de hemodiálise no maior número de províncias a ver se é mitigado este problema. “Agora, temos este centro, para acudir vítimas, quer de minas anti-pessoal, quer dos acidentes de viação, que, infelizmente, acontecem quase todos os fins-de-semana”, notou o Chefe de Estado.
Acompanhado da Primeira-dama da República, Ana Dias Lourenço, e de membros do Executivo, o Presidente da República disse “ter ficado encantado com o trabalho que os jovens angolanos realizam, não apenas neste centro, mas também noutros”, sublinhando que este “é um sinal de que, como sempre, devemos continuar a contar com a nossa juventude”. “A nossa juventude, se apoiada, é capaz de fazer coisas de grande valor e servir a Nação”, assinalou o Chefe de Estado.

Melhoria e revitalização dos centros ortopédicos a nível nacional

As obras do Centro Ortopédico e de Reabilitação Polivalente Dr. António Agostinho Neto custaram 600 milhões de kwanzas e estiveram a cargo da empresa Inforcom e Empresa de Gestão de Projectos Inovadores, de jovens angolanos.
Com a reabilitação e ampliação, o centro passa a contar com uma fábrica de ortoprotesia que vai produzir entre 75 a 80 próteses/mês contra as anteriores 40.
A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, indicou que a unidade reabilitada e ampliada faz parte de um pacote de melhoria e revitalização de 11 centros ortopédicos a nível nacional, incluindo o de Luanda.
Sílvia Lutucuta congratulou-se com a mobilização dos recursos e com o facto de se ter tornado o projecto numa realidade, uma forma de assegurar uma melhor qualidade de vida e conforto.
A primeira fase do centro regional de reabilitação polivalente foi inaugurada em 1990 para acolher, principalmente, vítimas da guerra e de minas anti-pessoal para o tratamento com próteses e a sua reinserção social, bem como vítimas da poliomielite e de sequelas derivadas da gestação e do parto.
Agora, e em tempos de paz, disse a ministra, a atenção está virada para o novo quadro gerado pelo aumento das deficiências provocadas por doenças crónicas incapacitantes, acidentes de viação e trânsito e de trabalho originadas pelas alterações de estilo de vida e com progressivo crescimento do número de idosos.
“Fez-se um enorme investimento para poder satisfazer as novas necessidades da nossa sociedade”, disse a ministra, para quem o Centro de Viana renasce com o novo conceito. Este centro, realçou, é uma homenagem ao Presidente Agostinho Neto, “pois as suas preocupações com a justiça influenciaram a Constituição da República Popular de Angola, em 1975, que consagra a saúde como um direito de todos os angolanos e idealiza um novo serviço nacional de saúde.
Para a ministra da Saúde, no quadro do novo conceito do centro, destaca-se a reabilitação integral como um processo global e dinâmico orientado para a reabilitação física e psicológica da pessoa portadora de deficiência, tendo em vista a sua reintegração social.
Sílvia Lutucuta disse que as obras permitiram, além da reabilitação, a ampliação e o apetrechamento de vários serviços, designadamente fisioterapia, radiologia e estomatologia, a construção e apetrechamento da oficina de ortoprotesia e de edifícios para a administração.
“Deste modo, o centro ortopédico é de terceiro nível assistencial, contando com 296 funcionários e, deste número, enquadram-se 31 novos técnicos no âmbito do concurso público de 2018”, disse.
O centro presta serviços de consulta externa de especialidade, como clínica geral, fisioterapia com ginásio para adultos e crianças, ortopedia, neurologia infantil, entre outros. Serviços de apoio ao diagnóstico e terapêutica, como laboratório, farmácia e ortoprotesia (oficina de próteses) são também feitos.

Serviços humanizados
Na ocasião, o director-geral do centro, David Abel, assegurou que a instituição terá como missão prestar, com conforto e comodidade, um serviço de qualidade, tendo sempre presente um atendimento humanizado e profissionalizado.
O responsável garante que não pretende esquecer a componente da formação dos profissionais. O centro ganhou uma nova fábrica, um novo serviço de raio X e ampliação dos serviços de fisioterapia e a inclusão de um serviço de acupunctura.

Fonte: JA/LD

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: