Ecografia mamária e mamografia: Sabe as diferenças? Médico explica

0

As rotinas de vigilância da mulher, onde se incluem um acompanhamento médico regular e a realização de exames de diagnóstico, permitem detectar   eventuais doenças em fase precoce. No caso concreto da mama, a realização regular da ecografiamamária e da mamografia tem um papel fundamental na deteção precoce de patologias, nomeadamente, de um dos cancros mais frequentes na mulher: o cancro da mama.

Ultimamente temos observado uma diminuição preocupante no diagnóstico de novos casos de cancro pelo facto das pessoas não estarem a realizar atempadamente as consultas e os exames necessários.

Este acompanhamento é fundamental e não deve ser adiado. Saiba mais sobre os exames fundamentais que permitem detectar eventuais doenças da mama numa fase inicial.

Exames que se complementam

A mamografia e a ecografia mamária são exames que se complementam e constituem os pilares do diagnóstico das patologias da mama. A mamografia é o exame de eleição, no entanto deve ser complementada com a ecografiamamária.

Estes exames desempenham um papel fundamental ao permitir diagnosticar lesões malignas em fases muito precoces o que se traduz em melhores possibilidade de cura e consequente redução da taxa de mortalidade.

O diagnóstico pela imagem na patologia da mama, tem tido importantes avanços nos últimos anos, mantendo, no entanto, o exame clínico um carácter imprescindível nestas doenças.

Na presença de um ou mais sintomas, o médico avaliará o seu caso e poderá recomendar a mamografia e a ecografiamamária. Atualmente existem equipamentos de última geração – como é o caso da mamografia com tomossíntese (ou mamografia 3D) – que permitem detetar lesões cada vez mais pequenas melhorando significativamente a precisão do rastreio e do diagnóstico. Com o resultado destes exames, e mantendo-se o grau de suspeição, o médico poderá solicitar uma biópsia mamária. Existem portanto vários exames que podem ser realizados mediante cada caso.

Quando devem ser realizados estes exames?

Em mulheres jovens, com menos de 30 anos, a ecografia mamária é a técnica de eleição. Por isso, iniciamos o estudo pela ecografia e optamos pela mamografia se houver alterações ecográficas que o justifiquem.

Este exame inclui sempre a observação das regiões axilares para despiste de gânglios que poderão ser anormais quando se trata do cancro da mama.

A partir dos 40 anos deve realizar uma mamografia de dois em dois anos e uma ecografia mamária anualmente para diagnóstico precoce do cancro da mama.

Para a data de execução destes exames, temos que ter em atenção alguns fatores, como por exemplo, na história familiar a existência de familiares (mãe, irmã) com cancro da mama. Estas pessoas devem ter aconselhamento médico especializado e vigilância com intervalos de tempos mais reduzidos.

Podemos ainda dizer que temos a mamografia para as doentes sem sintomas e com sintomas:

A chamada mamografia de rastreio, que em Portugal atualmente é efetuada entre os 50-70 anos, de dois em dois anos, é indicada para mulheres sem sintomas.

Depois temos a mamografia para as doentes com sintomas (nódulos, dores na mama, por exemplo), em que a mamografia é uma técnica inicial e básica. Deve ser efetuada nas doentes com mais de 30 anos e será feita sempre uma ecografia mamária complementar para total esclarecimento.

Fonte: Lisfetyle ao minuto

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: