Crise na Igreja Universal – Executivo considera que existem situações que configuram crimes

0

A Ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, ontem, no seu pronunciamento sobre a IURD, fez entender que, o Estado angolano gostaria que este assunto não fosse unicamente analisado do ponto de vista religioso, mas também do ponto de vista das consequências políticas e diplomáticas que poderá assumir.

“Nós pensamos que é preciso muita tranquilidade, muita ponderação, para resolver esta questão, há casos de justiça, há casos com indicio de crimes que têm que ser tratados no fórum próprio pelas entidades competentes, para que seja dado um tratamento processual que é exigido por lei”. salientou, Carolina Cerqueira.

De acordo com a governante, há indícios de alguns crimes de esbulho, violência física e verbal que se tem notado ultimamente através da comunicação social e vamos esperar que os órgãos competentes se pronunciem, para que se adicionem os tramites processuais e respeitar as leis de Angola.

A Ministra, Carolina Cerqueira, deixou claro que, não é objectivo do Estado perseguir ninguém, se há angolanos prevaricadores que também actuaram em desrespeito a lei, estes angolanos terão que responder perante a justiça.

“O que nós temos que preservar é o estatuto de cada uma das pessoas ligada a instituição, é o património da igreja Universal, e sobretudo preservar, os princípios constitucional, porque Angola é um Estado democrático de direito e nós somos um Estado laico e vamos colocar a justiça a frente para resolver este diferendo”. Finalizou.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: