Covid19: Testes rápidos oferecidos a Angola

0

Ao todo, 1.500 testes rápidos de coronavírus foram entregues, ontem, em Luanda, ao Instituto Nacional de Investigação em Saúde e à Inspecção da Saúde, pela empresa portuguesa Pantest.

“No que se refere a esta doação feita ao Ministério da Saúde de Angola, eu e o meu pai fizemo-la enquanto cidadãos angolanos, por ser essa a nossa obrigação para com o nosso país”, disse ao Jornal de Angola a gestora da empresa, Catarina Sá Pedroso, sublinhando que a referida acção caridosa não representa qualquer intenção de realização de negócios no futuro. “É uma doação ditada pela solidariedade”, explica.

A Pantest fabrica pelo menos 30 variedades de testes rápidos, registados no Infarmed português, que permitem o rastreio de doenças que vão desde as febres endémicas (malária,dengue, zika, chikungunya e febre tifóide).

A fábrica também produz testes para doenças infecto-contagiosas como as hepatites, doenças de transmissão sexual, e agora o coronavírus, além de outros que servem para determinar a gravidade das doenças diarreicas, como por exemplo a cólera.

A gestora da Pantest, Catarina Sá Pedroso, avançou que a fábrica produz igualmente marcadores cardíacos e tumorais, para identificar os pacientes com síndrome coronariana aguda, permitindo o diagnóstico e tratamento rápidos, e marcadores de fertilidade, para a detecção qualitativa de concentração de espermatozóides, gravidez e ovulação.

Fonte: JA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: