Covid-19: Vendedores do mercado do Catinton aderem à testagem em massa – Mil testes realizados, 44 reacções positivas

0

O Ministério da Saúde (MINSA) e o Governo Provincial de Luanda (GPL) iniciaram esta quarta-feira, 08, a testagem em massa em seis mercados de Luanda e começaram no do Catinton, onde, dos 1.000 vendedores testados para o controlo da Covid-19, 44 tiveram reacção positiva, confirmou o Novo Jornal no local.

O MINSA alerta para o facto de estes resultados positivos não significarem de imediato que a pessoa tenha o novo coronavírus activo, porque, tratando-se de testes rápidos, os positivos implicam uma segunda análise em laboratório para confirmar.

Este tipo de testagem foi igualmente realizada no município do Cazengo, no Kwanza Norte, onde está criada, tal como na província de Luanda, uma cerca sanitária, e ali foram registadas 27 reacções positivas, carecendo estas igualmente de reconfirmação posterior devido às características deste tipo de análise.

Segundo a ministra da saúde, Sílvia Lutucuta, as 44 pessoas com registo de reacção positiva no mercado do Catinton, teve, seguramente, contacto com o coronavírus mas pode já não estar infectado e, por isso, ser-lhe-á feito um novo teste que garante mais eficácia no resultado porque se trata de um exame molecular para detectar a presença do vírus SARS-CoV-2, o coronavírus que causa a Covid-19.

De acordo com a ministra, as equipas de resposta rápida vão orientar as pessoas, sobretudo quem acusar positivo, mas avançou que não serão levadas para os centros de tratamentos ou de quarentena, até a confirmação dos segundos testes.

O mesmo vai suceder nos restantes mercados da província de Luanda onde esta testagem será igualmente realizada nos próximos dias.

Sobre o que sucede após os testes, em caso de uma grande quantidade de confirmações positivas para a Covid-19, Sílvia Lutucuta disse que serão tomas as medidas de saúde pública definidas para essas situações, que passam pelo encerramento para fazer a devida desinfecção.

A governante referiu também que os testes em massa que começaram no Mercado do Catinton, e nos próximos dias se estenderão aos mercados do Kikolo, 30, Asa Branca e no bairro do Mártires de Kifangondo, servirão como suporte científico para se ter a definição clara se estamos já perante uma situação de transmissão comunitária.

“O mais importante é as pessoas reconhecerem que a doença existe e que é preciso tomar medidas sérias. E todos devemos tomar às medidas de protecção individual e colectivas”, disse Sílvia Lutucuta.

Já a governadora da Província de Luanda, Joana Lina, disse que o GPL vai fazer cumprir as novas medidas a serem adoptadas em Luanda a partir de quinta-feira, conforme estipula o novo decreto Presidencial que prolonga a cerca sanitária em Luanda e num município do Kwanza Norte, Cazengo, até 09 de Agosto e entra em vigor na quinta-feira.

A governadora frisou que as pessoas devem levar a sério essas medidas, porque “a doença não está para brincadeiras e o momento de agir é agora”.

“Não devemos levar a sério só quando a doença tocar num membro da nossa família. O momento é de acção, responsabilização, cumprimento das exigências que foram decretadas. Nós vamos ser duros e vamos tomar as medidas que forem necessárias”, avisou Joana Lina, governadora de Luanda.

O Novo Jornal constatou que no mercado do Catinton, onde existem milhares de vendedores, as pessoas aderiram de forma voluntaria à testagem em massa da Covid-19, apesar do suspense na hora de receberem os resultados, a aderência para um lugar na fila era muito concorrido durante a manhã desta quarta-feira.

Varias vendedoras e vendedores do Catinton que fizeram os testes da Covid-19 contaram que o facto de os resultados serem negativos não implica que vão baixar a guarda no combate e na prevenção da pandemia no seu dia-dia.

Os administradores do mercado recusaram falar com os jornalistas, o que resultou na impossibilidade de se saber quantos são os comerciantes com lugar neste mercado, que é um dos maiores de Luanda, conhecido por receber, diariamente, toneladas de produtos agrícolas das províncias do Kwanza Sul, Benguela, Huíla e Huambo, entre outras.

Na Província de Luanda, a testagem em massa através destes testes rápidos, terá lugar apenas nos mercados do Catinton, Kikolo, 30, Asa Branca e no bairro do Mártires de Kifangondo.

Em todos estes mercados serão realizados mil testes, o que significa que seis mil pessoas serão testadas de forma aleatória na capital.

Desde o início da pandemia da Covid-19, no País, em Março último, é a primeira vez que o MINSA realiza a testagem em massa nos mercados informais de Luanda.

Mais 10 casos positivos

Ao fim do dia, o secretário de Estado para a Saúde Pública anunciou, no balanço diário da situação da Covid-19 no País, que foram registados mais 10 casos nas últimas 24 horas.

Franco Mufinda avançou que os 10 casos positivos são todos de Luanda, com idades entre os 7 e os 84 anos. Seis do sexo masculino e quatro do sexo feminino.

O óbito é de uma cidadã angolana.

Com os 10 casos das últimas 24 horas, o País soma 396 casos, dos quais 22 óbitos, 117 recuperados e 259 activos.

Fonte: NOVO JORNAL/BA

 

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: