Covid-19: Polícia alerta contra violação das medidas de prevenção

0

A Polícia Nacional (PN) reafirmou, nesta quarta-feira, a aplicação de medidas mais “duras” contra os cidadãos apanhados a violar as medidas de prevenção contra o novo coronavírus (covid-19).

Segundo o porta-voz do Ministério do Interior, Waldemar José, que falava durante a conferência de imprensa de actualização de dados da covid-19 no país, se for necessário serão detidos e submetidos a julgamento sumário.

“Para garantir o bem-estar de todos vamos ser mais rigorosos e aplicar as devidas medidas contra os cidadãos que insistem em circular sem necessidade”, avançou.
O subcomissário destacou a desobediência da população e o desacato às forças de defesa e segurança nacional como acções que marcaram pela negativa as últimas 24 horas do quarto dia do Estado de Emergência.

De acordo com o oficial, alguns cidadãos insistem em sair de casa alegando a ida às compras em dias e horários impróprios, contrariando o Decreto Presidencial que declara o Estado de Emergência.

Apontou ainda o uso indevido de credências de serviço como uma das frequentes violações das medidas de prevenção contra a covid-19, bem como as tentativas de violação da cerca sanitária inter-provincial.

A titulo de exemplo, afirmou Waldemar José, nessa quarta-feira um grupo de indivíduos, provenientes do Cuanza Sul tentaram chegara a Luanda por via fluvial, usando uma canoa.

“Desceram das viaturas na localidade do Longa, fronteira entre Cuanza Sul e Luanda, para atingir a capital do país, usando una canoa”, frisou.

Apontou ainda a especulação de preços e o encurtamento de rotas por parte dos taxistas como outra violação do Estado de Emergência.  

Em função desse comportamento negativo da população, justificou, nesta quarta-feira registou-se um aglomerado de pessoas na via pública e constrangimentos no trânsito, principalmente em Luanda, onde muitos cidadãos com prioridade para circular foram prejudicados por essas acções.

Diante desse cenário, o porta-voz apela a população a cumprir as medidas de prevenção contra a covid-19, para evitar a circulação comunitária do vírus e preservar a vida de todos os cidadãos.

Apelou ainda aos cidadãos a denunciar passageiros provenientes do exterior nos chamados voos humanitários e que estejam a violar a quarentena domiciliar.

“Os cidadãos que tiveram contacto com pessoas infectadas e que estejam em fuga serão recolhidos e submetidos a quarentena institucional. Sabemos quem são e tudo faremos para que possam ser encaminhados aos centros de quarentena”, advertiu.

Detenções a apreensões

A desobediência dos cidadãos obrigou, nas últimas 24 horas, as forças de defesa e segurança nacional  detiveram 107 cidadãos, dos quais 53 por violação das fronteiras e 54 por desacato as autoridades.

Também apreendeu-se 74 viaturas por excesso de lotação, bem como a recolha de 143 indivíduos que circulavam na via pública de forma injustificada.

Nesse período, a Polícia Nacional apreendeu mil e 190 litros de gasolina, na província do Zaire, que tinha como destino a República Democrática do Congo (RDC), assim como 15 mil litros desse combustível em Cabinda.

Nas últimas 48 horas, o país mantém os sete pacientes recuperados (duas altas), 18 activos internados no centro de tratamento da Barra do Kwanza e na Clínica Girassol, em estado clínico estável, bem como dois óbitos.

Para conter a propagação da pandemia do novo coronavírus (covid-19), Angola observa, desde as 00h00 de domingo (26 de Abril), o terceiro período de Estado de Emergência, a vigorar até às 23h59 do dia 10 de Maio, cumprindo-se assim 45 dias consecutivos de isolamento social.

Trata-se da segunda prorrogação, de 15 dias, do regime excepcional, desta vez com um aligeiramento das medidas.

O Estado de Emergência em Angola foi decretado no dia 25 de Março pelo Presidente da República, João Lourenço, após parecer favorável da Assembleia Nacional, e vigorou de 27 de Março a 10 de Abril, tendo sido prorrogado para o período de 11 a 25 do mês corrente.

Angop

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: