Covid-19: Ministra da Saúde anuncia testes mais rápidos por Elisa

0

Angola passa a utilizar, a partir da próxima semana, um novo teste serológico denominado “Elisa”, em substituição da análise da farmacêutica Abbott, utilizada até ao momento para campanhas de testagem rápida da Covid-19.

De acordo com a ministra da Saúde, o novo teste vai permitir a colheita de três mil amostras por dia.  A ministra, que falava durante a conferência de imprensa sobre actualização da situação epidemiológica do país, assegurou que o teste serológico Elisa terá menos custos financeiros e faz parte de uma tecnologia que permite a realização de um resultado mais eficaz e preciso, sem o risco de falsos casos positivos dos exames de RT-PCR.

O novo tipo de teste também permite que a colheita do sangue seja feita através da veia e não do dedo. “É como se fosse uma mudança de análises de gota espessa para a vidal”, referiu.  A ministra disse que no exame da Abbott os resultados reactivos podem dar negativo no RT-PCR, com a possibilidade de haver reacções cruzadas, mas com o método Elisa esta situação não acontece.

A ministra esclareceu que nenhum país tem testes suficientes da Covid-19, por isso, Angola fez um exercício “muito grande” com aquisições de exames rápidos. Acrescentou que o país chegou a adquirir cerca de 170 mil testes e tem agora em stock 50 mil.

Em relação à aquisição das vacinas, Sílvia Lutucuta disse que o Ministério da Saúde trabalha com a Aliança Internacional da Vacina Gavi, OMS e tem uma iniciativa com a Covaxi, um acordo que permite de uma forma antecipada aos países em vias de desenvolvimento terem as vacinas quando forem aprovadas.

“Tão logo as vacinas estejam disponíveis, Angola vai ter uma doação de 12 milhões de vacinas, destinadas a pessoas de risco, comdoenças como a hipertensão, diabetes, anemia de células falciformes. As demais vacinas para outra parte da população serão adquiridas pelo Estado”, disse a ministra.

Mais 30 casos positivos

Angola registou, nas últimas 24 horas, mais 30 casos positivos da Covid-19, todos na província de Luanda. Trata-se de cidadãos com idades compreendidas entre os 8 e 79 anos. Dos 30 infectados, 16 são do sexo masculino e 14 do sexo feminino. Os municípios mais afectados são os de Belas, Viana, Talatona e os distritos da Maianga e Ingombota.

Nas últimas 24 horas, o país registou, também, a morte de um cidadão de nacionalidade chinesa, que esteve internado durante seis dias em estado crítico, e a recuperação de oito pacientes.  Com estes dados, Angola tem um total de 2.654 casos positivos da Covid-19, 1.475 activos, 108 óbitos e 1.071 recuperados.

Dos 1.475 casos activos, um doente está em estado crítico, 23 em situação grave, 36 apresentam sintomas moderados, 48 têm sintomas leves e 1.367 são assintomáticos. Em quarentena institucional estão 870 pessoas. Em todo o país estão internados nas unidades sanitárias 320 pacientes. No domínio laboratorial, foram colhidas, nas últimas 24 horas, 474 amostras por RT-PCR, sendo 30 positivas e 444 negativas.

O acumulativo de amostras processadas desde o início da pandemia, segundo a ministra, é de 57.035, sendo 2.654 positivas e 54.381 negativas.
O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 49 chamadas, das quais quatro denúncias de casos suspeitos e 45 pedidos de informação sobre a Covid-19.

Fonte: JA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: