Covid-19: Cuando Cubango recebe 45 toneladas de bens alimentares

0

Quarenta e cinco toneladas de produtos alimentares diversos foram entregues, no domingo, a Comissão Provincial de Combate e Prevenção à Covid-19 da província do Cuando Cubango, para minimizar a carência alimentar das populações.

Dos bens entregues pela Comissão Nacional Multissectorial de Combate e Prevenção à Covid-19, destacam-se mil sacos de arroz de 25 quilogramas cada,  mil sacos de fuba, mil caixas de óleo, 200 sacos de açúcar e 800 caixas de massa alimentar.

Em declarações à Imprensa, depois de recepcionar os produtos, a vice-governadora do Cuando Cubango para o sector político, social e económico, Carla Cativa, afirmou que os referidos produtos vão mitigar a carência das populações vulneráveis.

Disse que a prioridade de assistência deverá recair à camada mais vulnerável, realçando neste particular a população Khoisan, os portadores de deficiência, os idosos, crianças que se encontram com mães tutelares, crianças de lares, entre outras.

“Esta é a cadeia da população prioritária para estes apoios, não descorando outras populações carenciadas”, sublinhou, acrescentando que será feita a planificação para a sua distribuição aos demais municípios.

Lembrou que, para além do presente reforço, a Comissão Provincial já havia recebido bens alimentares e não alimentares, tais como roupa usada diversa, para ajudar as populações nesta fase do cacimbo.

Em relação a reabertura das actividades de cultos religiosos, disse que foi feito um trabalho antecipado com  os pastores e líderes religiosos de igrejas reconhecidas, dando nota dos cuidados a serem observados no âmbito do reinício das celebrações de cultos religiosos.

Disse que o trabalho permitiu partilhar a informação necessária que tem a ver com a capacidade do templo, que deve ser de apenas 50 por cento da capacidade total.

Informou que as questões de higienização, distanciamento físico social, uso obrigatório das máscaras, observância do critério para a distribuição de ofertas e dízimos, evitando que as pessoas passem de mão em mão, foram igualmente abordados ao longo dos encontros.

Fonte: Angop/LD

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: