Código de barras nacional é introduzido o início de 2020

0

Um código de barras para a identificação da produção nacional é introduzido no primeiro trimestre de 2020, no quadro das acções do Executivo no domínio da dinamização do sector do Comércio Externo, declarou ontem, em Luanda, o secretário de Estado para a Economia.

Sérgio Santos, que falava na 3ª Assembleia-Geral Ordinária da Câmara de Comércio e Indústria de Angola (CCIA), que culminou com a eleição dos seus novos órgãos sociais, considerou que a introdução desse instrumento vai resolver, em grande medida, os problemas com que a comunidade empresarial se depara. 

A introdução do código de barras, de acordo com Sérgio Santos, deve ocorrer sob a liderança da CCIA, na qualidade de instituição com legitimidade para tratar da matéria, pelo que lançou aos novos corpos gerentes da associação o desafio de se empenharem na materialização do projecto.
Lembrou que, a nível do mundo, o código de barras é criado pelo Global Standard Adwane, que representa uma associação e organização sem fins lucrativos. “Daí a necessidade dos passos serem dados por uma associação empresarial do país”, esclareceu.
“A posição histórica da Câmara no domínio patronal e sindical dos empregadores configura assumir um papel na promoção de negócios e, com outras associações, trazerem investimento estrangeiro através de parcerias”, declarou Sérgio Santos ao descrever as expectativas do Executivo em relação à CCIA.
Por seu lado, o secretário de Estado do Comércio, Amadeu Leitão Nunes, frisou que “as câmaras de comércio são as principais impulsionadoras da economia nacional, como parceiro do Governo, como também têm a responsabilidade de dinamizar a reflexão sobre questões da evolução económica e social do país”.

Eleição de novos membros
O presidente do Conselho de Direcção eleito, Vicente Soares, comprometeu-se a trabalhar de forma empenhada para que o novo código de barras entre em vigor dentro do tempo estabelecido pelo Executivo angolano.
“Vamos trabalhar para facilitar a implantação de novos programas do Executivo, começando na facilitação e celeridades dos processos e serviços de migração estrangeira”, acrescentou.
Eleitos e empossados ontem, os membros dos órgãos sociais são compostos pelo Conselho de Direcção, constituído pelos representantes das empresas Sovinhos, BAT, Cafangol, BPC, Safri, Alinga Energia, Endiama, Ensa e Nova Cimangola, 20 representações provinciais e dez associações, enquanto o Conselho Fiscal é composto pelas empresas VTB, ECODIMA e ZEE.
Fundada em Novembro de 1988 e constituída por um conjunto de 40 empresas, a Câmara de Comércio e Indústria de Angola representa, actualmente, mais de 500 empresas e Associações.

TPA com JA/LD

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: