Centro logístico para exportação de hortícolas

0

Um centro agro-logístico, para apoiar a exportação de frutas e legumes de Angola para a Europa, vai ser construído, ainda este ano, na província de Benguela, num investimento de 60 milhões de euros.

Para o efeito, foi assinado, recentemente, em Benguela, entre os Governos angolano e holandês, um memorando de entendimento sobre assistência técnica e co-financiamento para a implementação do centro agro-logístico.
O documento foi assinado entre o Ministério dos Transportes, representado pelo presidente do Conselho de Administração da Agência Reguladora de Certificação de Carga e Logística de Angola (ARCCLA), Catarino de Fontes Pereira, e pelo ministro Conselheiro da Embaixada do Reino dos Países Baixos em Angola, Marc Léon Mazarac.

Segundo o PCA da ARCCLA, Catarino de Fontes Pereira, a plataforma agro-logística será gerida por um consórcio empresarial e vai servir o corredor de desenvolvimento do Lobito. Para o efeito, disse, os empresários terão de elaborar um Plano Director com os diferentes sectores da cadeia produtiva, cujo projecto servirá para avaliar o custo real do centro logístico.
O consórcio empresarial holandês vai escolher o parceiro angolano, e de acordo com as capacidades dos operadores económicos, poderá estabelecer-se a parceria para a implementação e operacionalização do primeiro centro agro-logístico em Angola.

“O Executivo tem um vasto projecto de implantar uma Rede Nacional de Logística ao longo do Corredor do Lobito e em outras localidades para que os fruticultores não continuem a ter as grandes perdas que têm actualmente, por falta de infra-estrutura de apoio ao agro-negócio”, disse o PCA da ARCCLA.
A futura plataforma logística resulta de um estudo realizado há dois anos, cujo objectivo é de realizar investimentos em infra-estruturas de apoio à economia nacional, à luz do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).
O investimento enquadra-se também na estratégia de desenvolvimento da Rede Nacional de Plataformas Logísticas, que visa dinamizar e rentabilizar o corredor do Lobito, mecanismo fundamental para a facilitar o comércio e melhorar o ambiente de negócios em Angola.

Aposta

O diplomata disse que Angola e Holanda são países que se complementam, pelo grande potencial e a ligação por mar.
“A Holanda é a porta de entrada e saída da Europa. Quase tudo passa pelo Porto de Roterdam, assim é também o de Lobito, que tem as mesmas condições de ser a porta de entrada e saída, não só para produtos que vêm ou saiam de Angola, mas também para os países vizinhos sem saída para o mar”, aponta.
A Holanda promete direcionar também os seus investimentos no sector agrário e ambiental, assim como no programa de distribuição e logística rural, cuja execução será feita pela Arccla.

Na ocasião, o PCA do Porto do Lobito, Celso Rosas, informou que está em curso um trabalho profundo, com vista a resgatar a “mística” do Corredor do Lobito, que antigamente foi um importante pólo de desenvolvimento da região do Centro-Sul do país.
“A criação deste pólo logístico vai proporcionar  oportunidades para que os empresários e os agriculturoes possam ver os seus produtos escoados”, augurou.
Adão Faustino|Benguela

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: