CEAST defende maior envolvimento na preservação do ambiente

0

Os bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST) defenderam, nesta quinta-feira, em Saurimo (Lunda Sul), maior envolvimento das autoridades governamentais na proteção do meio ambiente, para devolver a tranquilidade e harmonia nas comunidades rurais.

Falando à imprensa, o presidente da CEAST, Dom Filomeno Vieira Dias, disse que o elevado índice de devastação do meio ambiente coloca em risco o habitat e a vida dos povos, daí a necessidade de se destinar mais recursos financeiros para se pôr cobro a situação.

Sublinhou que constitui um tema importante que serve de reflexão a todos intervenientes, alertando para a necessidade de se fazer mais e adequar a eficiência económica à protecção ambiental e à justiça social dos povos.

Avançou que o desmatamento provocado, sobretudo, por abate indiscriminado e ilegal de árvores para a comercialização da madeira parecia que se tinha estancado e posto um travão nesta situação.

Apontou as províncias do Moxico, Cuando Cubango, Cabinda, Uíge e Bengo cmo as áreas onde mais se observa o abate indiscriminado.

Dom Filomeno Vieira Dias, em nome dos bispos da II sessão plenária da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST, enalteceu a indicação do arcebispo emérito de Benguela, Dom Eugénio Dal Corso, pelo Papa Francisco, como cardeal.

Situação dos refugiados da RDC no Lóvua

Neste capítulo, os bispos mostraram-se inquietos com a situação dos refugiados da RDC na localidade do Lóvua (Lunda Norte), apesar dos esforços da diocese do Dundo, da Cáritas, do serviço jesuíta dos refugiados e do Governo angolano.

Consideram que a situação deveria e poderia ser e melhor seguida, para se evitar a crise que se gerou, criando uma rotura psicológica, humana e espiritual entre as populações.

Os bispos avançam que não se trata apenas de imigrantes, pessoas descartáveis, para além dos valores evangélicos que os guias, está em questão aqueles a apresentar ao mundo e a África, um rosto de personalidade, do calor humano merecido aos outros.

Durante a II assembleia ordinária os bispos vão abordar assuntos como aprovação da mensagem do 3º triénio (Os jovens e a fé Testemunhada), congresso eucarístico Internacional de Budapeste, relatório da IMBISA, avaliação da visita Ad Limina, inquérito sobre a igreja em Angola, protecção de menores, floresta Laudato Si (Avaliação), entre outros.

A conferência Episcopal de Angola e São Tomé foi criada a 15 de Abril de 1967 como Assembleia da Hierarquia eclesiástica das então províncias de Angola e São Tomé.

Fonte: ANGOP/BA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: