Canções de Santocas recordadas em concerto

0

Em declarações, hoje, ao Jornal de Angola, Santocas garante que os convidados Carlos Lamartine, Dina Santos e Santos Júnior são cantores que “preenchem bem a memória colectiva do povo angolano”. 
Os ensaios o concerto com a banda “Cana de Açúcar” realizam-se num espaço no Golfe II.
O músico prometeu cantar, preferencialmente, temas que no passado ajudaram a mobilizar os jovens para as frentes de combate. 
O autor do sucesso “Valódia” chamou atenção para a importância e o impacto das canções políticas na mobilização e consciencialização da sociedade na época.
O espectáculo, adiantou, de aproximadamente duas horas e meia, vai ainda lembrar figuras histórica da política e da música urbana angolana. “A maioria das músicas do meu repertório já são conhecidas do público. Na época elas ajudavam a manter alguns dos indígenas informados sobre o estado em que o país se encontrava, na altura, como província ultramarina de Portugal”, revelou.
No espectáculo, disse, canções como “Valódia”, “Poder Popular” e “Massacres de Kifangondo” são parte obrigatória do alinhamento, por terem feito dele uma voz reconhecida do mercado musical nacional. Outros temas a serem interpretados são “Bairro Indígena” e “Marçal”, como revelou, por mostrarem a outra parte da realidade da época, vivida em certos bairros.
O músico prometeu, também, apresentar algumas canções em samba e bolero. “Vou fazer uma mistura de estilos e recuar até a década de 1980, para apresentar temas que já falavam sobre o cenário de desenvolvimento do país nos dias actuais”.
O gestor do espaço MD House, Wilson Verdades, disse que está tudo pronto para dar aos convivas uma tarde de recordações e nostalgias. O espectáculo abre, oficialmente, as actividades culturais deste ano do espaço, com a capacidade para 700 pessoais. 

Influências musicais
Santocas revelou ter sido influenciado ao longo da carreira por políticos e nacionalistas, como Gabriel Leitão e Aristides Van-Dúnem, e Vum-Vum, que na época dominava o panorama artístico.
Entre 1974 e 1975, o músico gravou vários LP nos estúdios na Rádio Nacional de Angola. “Valódia”, “Jika”, “Marçal” e “Bairro Indígena” foram alguns dos temas em destaque destes CD. 
As canções eram escritas em função do momento e dos acontecimentos, criados pelo período efervescente da situação política em que o país estava mergulhado. Na época (1974-75), Santoca tinha a cabeça a prémio por 20 mil escudos, por ter sido a voz do momento e um dos artistas angolanos mais procurados. 
De início, compôs canções sem conotação partidária. Mas em 1974 tudo mudou quando gravou a canção “Angola”, sobre a colonização, numa fase que já se sentia o aproximar do 25 de Abril, em Portugal.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: