Bispos querem maior fiscalização das doações para combate à fome

0

Em declarações à imprensa, o porta-voz da conferência, que começou dia 9 deste mês e encerrou ontem, dom Belmiro Tchissengueti, disse que tal medida contribuirá para me-
lhor gestão e distribuição destes produtos às pessoas mais carenciadas.

Segundo o porta-voz, uma fiscalização eficiente do processo de entrega dos bens po-
derá evitar eventuais desvios dos produtos doados por instituições públicas ou privadas.
Fez saber que os bispos sugeriram a abertura de mais estradas e a reabilitação de novas
burocráticos complexosRessaltou que os bispos encorajaram o Executivo a não hesitar em envolver forças militares e militarizadas, autoridades tradicionais e movimentos

de defesa do ambiente na luta contra as queimadas, desflorestação, caça furtiva, tráfico de
madeira, garimpo ilegal de minérios e outros comportamentos prejudicais à natureza e à
economia do país.

Fez saber que os bispos apearam aos cidadãos possuidores de elevados somas monetárias no exterior no sentido de trazerem o dinheiro e investirem no país, para contribuírem
no processo de desenvolvimento de Angola.

No campo religioso

Os bispos aprovaram a mensagem pastoral “A Juventude e
a fé testemunhada que encerrará o triénio dedicado à juventude” e o Estatuto dos Acólitos da Igreja Católica, bem como constituíram uma equipa de trabalho composta por dom Emílio
Sumbelelo, dom Benedito Roberto, dom Zeferino Zeca Martins e dom Pio Hipunyati, que
terá a incumbência de fazer a apresentação dos dois documentos pelas províncias eclesiásticas.

Os participantes aprovaram ainda a criação de uma entidade coordenadora do escutismo
católico a nível nacional.

Os bispos congratularam-se com a assinatura do Acordo Quadro entre a Santa Sé e
o Estado Angolano rubricado em Setembro deste ano e a sua consequente “aprovação” pelo Conselho de Ministros de Angola.

Enalteceram o empenho da Comissão Episcopal do Clero, das equipas de serviço, da Diocese de Viana, dos benfeitores e de todos os que propiciaram a
realização do I Congresso Nacional do Clero do país.

Felicitaram dom Gabriel Mbilingui, pelo modo competente como exerceu a presidência da
Conferência Episcopal de África e Madagáscar (SECAM) durante seis anos.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: