Banco Económico oferece 150 bolsas de estudo para ensino superior

0

O Banco Económico anunciou em comunicado que vai conceder este ano académico cento e cinquenta bolsas de estudos para o ensino superior, mas 50 em relação ao ano académico 2018.

A instituição bancária que surgiu logo após a falência do BES, anunciou que se trata de uma acção incluída no âmbito da sua estratégia de responsabilidade social, reforçando o compromisso de apoio à área da educação.

Trata-se de bolsas destinadas a apoiar alunos desfavorecidos no prosseguimento dos seus percursos académicos, uma iniciativa que visa ajudar a reduzir a taxa de abandono escolar, assegurar uma educação de qualidade aos estudantes e contribuir para a criação de quadros mais competentes e capacitados, em todo o país.

O Programa BE da Educação conta também com o apadrinhamento do músico Anselmo Ralph, que irá produzir um vídeo para incentivar os estudantes a aderirem a este programa e para contribuir para a sua divulgação, junto dos jovens angolanos.

As bolsas de estudo, suportadas integralmente pelo Fundo de Solidariedade do Banco Económico, contemplam o pagamento das propinas e as despesas de formação dos alunos.

O início da bolsa de estudo coincide com o mês de início das aulas e a propina será mensalmente atribuída, durante 10 meses no ano.

O tempo de atribuição da bolsa de estudo é igual à duração do curso a frequentar. O prazo para apresentação de candidaturas decorre entre 28 de Janeiro a 8 de Fevereiro de 2019.

Os candidatos a bolseiros devem ter idade compreendida entre os 18 e os 30 anos e comprovarem que não dispõem de meios suficientes para custear os encargos correspondentes à sua frequência no ensino superior.
Para além disso, devem ser candidatos, ou alunos, de cursos universitários relacionados com áreas da banca, não podendo beneficiar de bolsas de estudo de outras instituições, nem deter grau académico.

A selecção dos candidatos às bolsas de estudos, para bacharelato ou licenciatura, terá por base uma avaliação de nota, que não poderá ser inferior a 13 valores de média final, quer no ensino médio, quer no exame de admissão à universidade, ou no ensino superior.

O processo de selecção integra ainda a realização de testes de conhecimento e entrevistas aos candidatos, nas quais serão avaliados diversos critérios como as notas escolares, a universidade pretendida, a capacidade de comunicação dos candidatos, nível de educação, potencial académico, bem como as condições socioeconómicas dos alunos.

A responsável pela Direcção de Responsabilidade Social do Banco Económico, Katyana Mil-Homens, considera a educação  como um dos maiores desafios que o país enfrenta e constitui, também, um dos principais pilares do desenvolvimento individual, social e económico.

“A capacitação profissional implica sólidas bases académicas e muitos estudantes não conseguem terminar as suas licenciaturas devido a constrangimentos económicos. Por isso, o banco pretende apoiar alunos com elevado potencial, mas que não possuam meios próprios para dar continuidade à sua formação no ensino superior”, reforçou.

A atribuição das bolsas de estudo, de acordo com Katyana Mil-Homens, tem como objectivo estimular a formação de mais quadros superiores angolanos, aumentar a qualidade técnica dos recursos humanos nacionais e, desta forma, contribuir para a sustentabilidade do país.

TPA com Angop / EB

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: