Angola defronta Cuba focada na fase seguinte

0

Depois de falhar a qualificação para o grupo das 12 melhores selecções do 24º Campeonato do Mundo sénior feminino de andebol, Angola defronta hoje, às 10h00, a similar de Cuba, focada na segunda etapa da competição.

Apesar do desaire, 24-30, diante da Noruega, Angola tem hipóteses de materializar o objectivo previamente traçado, que passa pela melhoria do 19º lugar , alcançado na Alemanha. Um triunfo frente às cubanas pode galvanizar as Pérolas na abordagem à fase seguinte, onde disputam as classificativas do 13º ao 24º.
O encontro com a equipa cubana é referente à quinta e última jornada do Grupo A, a decorrer no Pavilhão Aqua Dome. O histórico dos jogos entre si, colocam o combinado angolano numa posição favorável.
Em 2015, no Mundial da Dinamarca, Angola derrotou Cuba por expressivos 38-23, com parcial de 20-14, ao intervalo. Hoje, Morten Soubak e comandadas ambicionam passar com distinção diante das pupilas de Jorge Arencibia.
As cubanas, ausentes na última edição, disputam pela terceira vez, a prova sob a égide da Federação Internacional (IHF), por sua vez as campeãs africanas somam 15 presenças consecutivas.
Angolanas com dois pontos e cubanas com zero, ocupam a quinta e sexta posição do grupo. Exploração dos passes de curta e longa distância, melhor circulação da bola, entrosamento entre a primeira e segunda linha, defesa aguerrida, aliada a eficácia ofensiva é o que se recomenda ao “sete” nacional.
Sem qualquer ponto, Cuba pretende equilibrar os números, e se possível surpreender as campeãs de África. Antes, as pupilas de Jorge Arencibia precisam de transfigurar-se, para travarem o ímpeto ofensivo das adversárias.

Derrota de ontem
Na partida de ontem, a derrota das angolanas por seis golos de diferença, ante às norueguesas não espelha o equilíbrio registado na partida.
O “sete” nacional deixou bons indicadores e ficou evidente as consequências da falta de estágio pré-competitivo e da chegada tardia no palco da prova. Por conta das dificuldades financeiras, a federação ficou impossibilitada de garantir as condições ideais.
Apesar de uma primeira parte soberba, com 13-12, ao intervalo, a selecção foi incapaz de travar as vice-campeãs do Mundo e inverter o histórico de insucessos. Cinco minutos da etapa complementar foi suficiente para o combinado europeu desenhar o triunfo, mas Angola reentrou no jogo aos 43, com o placar a registar 21-20.
De um lado a Noruega continuou a acreditar na vitória até ao apito final, ao passo que a ansiedade levou a melhor no seio das angolanas. Com seis golos, Aznaide Carlos foi eleita a melhor em campo.

Fonte: JA/BA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: