Aberto centro de quarentena na comuna do Luvo

0
Foto: José Cola (Edições Novembro)

Um centro de quarentena para acolher eventuais casos positivos de coronavírus foi aberto no princípio desta semana na comuna fronteiriça do Luvo, 60 quilómetros a norte da cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire.
Com capacidade para albergar 25 pacientes, o centro de quarentena do Luvo foi construído há cerca de cinco anos na sequência do surgimento do primeiro surto de Ébola que assolou a República Democrática do Congo (RDC).
Trata-se do terceiro centro de quaretena criado em Angola. Os dois primeiro estão localizados na Barra do Kwanza e em Calumbo, em Luanda.
De acordo com o supervisor provincial da promoção da Saúde, Andrade Kianzuaku, em declarações hoje, à imprensa, a abertura do centro de quarentena do Luvo resulta das medidas de prevenção gizadas pelas autoridades sanitárias locais para fazer face a eventual propagação desta doença para Angola, numa altura em que a RDC confirmou, nesta terça-feira, o primeiro caso positivo de coronavírus.
A nível do hospital provincial do Zaire, disse, foram também montadas duas tendas com capacidade para seis camas, para atender casos suspeitos desta enfermidade que já ceifou milhares de vidas a nível do mundo.
Quanto ao material de biossegurança, a fonte disse que as autoridades sanitárias locais aguardam pelo reforço de mais equipamentos por parte do Ministério de tutela para serem distribuídos em zonas fronteiriças da província do Zaire com a vizinha RDC.
O responsável considera preocupante o surgimento do primeiro caso positivo de coronavírus na RDC, dado o intenso movimento de cidadãos para ambos os lados da fronteira comum.
Apelou, na ocasião, o reforço das medidas de higiene pessoal como lavar frequentemente as mãos com água e sabão, evitar os apertos de mãos e abraços, partilhar materiais de uso pessoal, entre outras.
Aos profissionais de saúde em serviço, o responsável recomendou o uso permanente dos meios de biossegurança.
Além da RDC, Egipto, Argélia, Camarões, Marrocos, Nigéria, Senegal, África do Sul, Togo e Tunísia também já registaram casos de coronavírus em África.
A China, centro do coronavírus, tem um registo de 80 mil e 754 afectados e o número de óbitos subiu para três mil e 136.
A nível mundial, a epidemia, que começou na cidade de Wuhan (China), em Dezembro último, já infectou mais de cem mil pessoas e matou mais de três mil, incluindo uma morte em África (Egipto).
A província do Zaire partilha uma fronteira de 330 quilómetros de fronteira terrestre e fluvial com a República Democrática do Congo (RDC).

Fonte: Angop

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: