“Vacina da AstraZeneca continua a ser segura”

0

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, assegurou, ontem, em Luanda, que a vacina da AstraZeneca “continua a ser segura” e que não há razões para alarmes.

“O lote de vacinas que Angola recebeu é completamente diferente. Antes da imunização foram feitas consultas habituais com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e continuamos com a mesma segurança que tínhamos desde o inicio da campanha”, disse a titular da pasta da Saúde, durante a conferência de imprensa de actualização das medidas da Situação de Calamidade Pública, a vigorarem até 10 de Abril.
Como prova da segurança do imunizante, Sílvia Lutucuta apontou o facto dos membros do Executivo terem sido já vacinados à Covid-19, mas admitiu que podem surgir efeitos adversos.

“Há casos em que podem surgir, após a vacina, efeitos adversos como febre, irritação e cansaço, mas, até à data, não tivemos casos que necessitaram de internamento ou uma intervenção de cuidados intensivos”, detalhou a governante.
De acordo com Sílvia Lutucuta, houve notícias que davam conta de um lote de cerca de um milhão de vacinas distribuído por seis países na Europa, que provocou uma morte e 22 casos de trombrose. “O lote foi suspenso enquanto decorre a avaliação da vacina”, esclareceu a ministra.

Até à data, mais de 24 mil pessoas já estão vacinadas contra a Covid-19, em Luanda, entre profissionais de saúde, pessoas expostas e também idosos com mais de 65 anos com comorbilidades, segundo fez saber a ministra da Saúde.
“Na quarta-feira batemos um recorde de 7.500 pessoas vacinadas, ontem tivemos 5.400 e esperamos ter números mais elevados nos próximos dias”, disse.
Cerca de 3,5 milhões de dólares foi o montante investido no novo depósito central de vacinas, em Luanda. O espaço cuja capacidade de armazenamento é de 75 milhões de doses de vacinas dispões de três modelos de temperaturas, nomeadamente, a refrigeração de dois a oito graus, congelação menos de 20 graus e ultra-frio.

Situação epidemiológica
Angola registou, nas últimas 24 horas, uma morte e 44 novas infecções. O óbito ocorreu em Luanda e trata-se de um homem de 47 anos de idade.
Em relação aos casos positivos, foram notificados 40 em Luanda, dois no Cuanza-Sul, enquanto Cuanza-Norte e Huíla registaram cada uma infecção, com idades entre dois a 74 anos, dos quais 18 do sexo masculino e 26 feminino.
Há ainda a destacar a recuperação de 66 pacientes.
, sendo 40 no Huambo, 22 em Luanda e quatro no Bié. Com estes dados, o país tem agora, 21.205 casos confirmados de Covid-19, sendo 861 activos, 517 óbitos e 19.827 recuperados.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: