UNITA acusa Governo de falta de diálogo

0

O presidente da UNITA, Isaías Samakuva, acusou ontem, no Cuito, o Executivo de ter faltado ao diálogo para o acto de entrega dos restos mortais do fundador do partido, Jonas Savimbi.

Samakuva, que falava durante uma conferência de imprensa convocada de urgência, depois do impasse havido na entrega dos restos mortais de Savimbi, atirou todas as culpas ao Governo pela não recepção das ossadas do fundador da UNITA.
O político disse que, a dado momento, os membros do Executivo deixaram de dialogar com a outra parte (direcção da UNITA e família) da Comissão Multissectorial para as Exéquias de Jonas Savimbi, criada pelo Presidente da República.
“Não houve diálogo! Os angolanos não podem viver juntos se não dialogarem”, considerou o líder do maior partido da oposição, para quem, ainda que do corpo de Jonas Savimbi restem apenas ossos, este merece algum respeito.
Isaías Samakuva afirmou que o que estava acordado era que a recepção dos restos mortais fosse no Cuito, depois de, segundo ele, o Executivo ter negado que fosse no Luena. O programa alegadamente apresentado à última hora pelo Governo, disse, não foi discutido com ninguém. “A urna não pode sair do Luena sem a certificação de que os restos mortais são mesmo os do Dr. Savimbi”, referiu. A certificação dos restos mortais, acrescentou, teria de ser feita pela mesma equipa que esteve no Luena, por altura da exumação.
Samakuva disse que membros da direcção da UNITA e familiares do fundador do partido continuam no Cuito à espera pela recep-ção dos restos mortais de Savimbi, para que se cumpra o programa inicialmente traçado e que culmina com o acto de inumação, no próximo sábado, na aldeia de Lopitanga.
Em vida, Jonas Savimbi sempre manifestou o interesse de ser sepultado na localidade de Lopitanga, onde repousam os restos mortais de seus ancestrais.
No Andulo, no acto de entrega do corpo do antigo presidente da UNITA participaram membros do Governo e oficiais generais das FAA e da Polícia Nacional, que integram a Comissão Multissectorial para as Exéquias.
No Cuito, membros da direcção da UNITA, familiares de Savimbi e centenas de militantes aguardavam, sem sucesso, pelos restos mortais do fundador do partido, uns no interior do Aeroporto Joaquim Kapango e outros nos arredores. Entre os que se encontravam no interior, destaca-se um grupo com uniforme semelhante ao das extintas FALA.

TPA com JA/LD

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: