União dos Escritores reabre actividades culturais

0

A União dos Escritores Angolanos (UEA) reabriu na semana passada as actividades culturais, em Luanda, com um debate sobre o livro vencedor do Prémio Literário Sagrada Esperança, edição 2018, “A Festa dos Porcos”, de Dias Neto, na habitual “Maka à Quarta-Feira”.

O secretário-geral da UEA, David Capelenguela, disse, a propósito, que decidiram reabrir com uma análise ao livro de um jovem autor, como forma de incentivar a juventude a gostar das artes, em especial a literatura, e como forma de criar um vínculo mais forte com esta camada.

“A União representa para os jovens escritores uma instituição de grande valor, que apesar de ter nomes de peso da literatura angolana e procurar divulgar parte da história de um período do país, também tem prestado atenção às novas tendências desta época moderna, descrita por muitos dos jovens autores nos trabalhos apresentados”.

A UEA, continuou, nunca deixou de “abrir as mãos à juventude”. “Hoje temos escritores jovens iniciantes, com qualidade para conquistarem o mercado literário, mesmo que ainda tenham muito caminho a percorrer. É um ganho para a literatura angolana”, realçou.

Um exemplo da aposta de muitas instituições nos jovens escritores, contou, é a realização regular de concursos literários, como o Sagrada Esperança, que dá ao vencedor um prémio de 15 mil dólares, “um montante aliciante, capaz de inspirar a ju-ventude a pesquisar e apos-tar na qualidade das criações artísticas apresentadas”.

O livro “A Festa dos Porcos”, o segundo de Dias Neto, traz uma narrativa histórica de alguns acontecimentos do período colonial, numa tentativa de escrever as situações difíceis que os angolanos viveram no período colonial. No livro, o autor procura fazer uma comparação, contextual, entre o período colonial e o actual.

Para o autor, que prometeu continuar a escrever, a conquista do prémio é mais um incentivo, em especial para si, cujo percurso no mundo da literatura começou com a conquista do prémio Azul, da UEA, em 2017, com a estreia do primeiro livro, “O Taxista”.

O apresentador do livro, Manuel Dala, disse, no acto, que Dias Neto tem procurado fazer da literatura um instrumento de análise sobre os vários aspectos da sociedade angolana.

Fonte: JA/LD

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: