Treze segredos para uma melhor qualidade de vida

0

Viver bem é fácil e apenas depende de nós. Ainda tem dúvidas?

Será que fazemos mesmo tudo o que está ao nosso alcance para termos uma melhor qualidade de vida? Sejamos honestos… Possivelmente não.

A qualidade de vida das pessoas poderia ser bem melhor se fossem feitas algumas mudanças no dia-a-dia, e não falamos apenas daquelas que dizem respeito à alimentação e ao exercício físico. Esta dupla é fundamental para se viver mais e melhor, mas é preciso mais… e todos os dias.

Comecemos pelo pensamento. Tal como explica o El Mundo, uma das formas mais eficazes de melhorar a qualidade de vida é através do pensamento, que se quer positivo e aberto. Os pensamentos negativos levam a atitudes negativas, que, por seu turno, levam a pensamentos ainda mais negativos, numa espécie de ciclo vicioso que pode levar à depressão e até à exclusão social. Abraçar o otimismo é fácil e a Universidade de Harvard dá cinco conselhos para o conseguir.

Traçar objectivos em prol da saúde e do aspecto físico também ajudam a melhorar a qualidade de vida, que muitas vezes é afectada pelo desagrado com algumas partes do corpo. E embora a perfeição não seja alcançável, as pessoas devem procurar estar o mais perto possível disso, tentando ser sempre melhores todos os dias, seja consigo mesmas ou com os outros.

A qualidade de vida também fica a ganhar com a restrição calórica, como um recente estudo provou. Comer menos mas com mais qualidade ajuda a melhorar a saúde e a evitar um envelhecimento precoce. E por falar em envelhecimento, o açúcar é um dos alimentos a eliminar. Nos últimos meses têm surgido evidências científicas de que o consumo de açúcar está muito acima do recomendado e que tal traz sérios perigos para a saúde, contribuindo para a obesidade, diabetes e problemas cardiovasculares. O mesmo acontece com o óleo de palma, uma gordura que está escondida numa grande parte dos alimentos que consumimos e que deve ser evitada sempre que possível.

As pessoas devem ser capazes de detectar todas as situações que podem causar stress e evitá-las sempre que possível. Além de ficarem mais calmas e em paz consigo mesmas, evitam uma série de problemas relacionados com a saúde e as emoções, como a infelicidade, depressão, obesidade, doenças cardíacas, etc.

E como as emoções são um dos fatores que mais pesam na qualidade de vida de uma pessoa, mais importante do que compreender aquilo que se sente é a necessidade de saber ‘deitar fora’ os sentimentos que nada de bom trazem. Thomas D’Ansembourg é defensor da ‘higiene da consciência’,uma espécie de limpeza emocional onde as pessoas aprendem a sentir, expressar e compreender.

A relação com terceiros também influencia a qualidade de vida e embora as amizades possam trazer mais longevidade, o termo de comparação com os outros pode ter o efeito oposto. De acordo com o El Mundo, acabar com o termo de comparação é um dos principais desafios psicológicos que as pessoas têm pela frente, mas é também aquele que mais facilmente ajuda a encontrar e valorizar as próprias qualidades.

Mas como a qualidade de vida depende muito da condição física de cada um, é fundamental apostar no desporto, procurando motivação e o acompanhamento adequado ao tipo de treino que se pretende. A atividade física consciente é a única forma de conseguir tirar o máximo proveito dos benefícios que o exercício traz, evitando lesões e complicações futuras.

Parar de fumar, controlar o consumo de bebidas alcoólicas e corrigir a postura ao longo do dia são outros conselhos importantes e que devem ser aplicados todos os dias.

Apostar numa boa qualidade de sono é prioritário, pois só quando se dorme bem é que se é capaz de colocar todos os segredos acima mencionados em prática.

Fonte: Notícias ao minuto/BA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: