Sofre de dores nas costas? Saiba como minimizá-las

0

São apenas quatro dicas, mas podem ajudá-lo a contrariar hábitos que lhe provocam dores na coluna diariamente.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 85% da população terá problemas de coluna em algum momento da sua vida. Sedentarismo, peso a mais em malas e mochilas e, até mesmo a má postura, estão entre as principais causas deste mal que afeta a qualidade de vida e contribui para a ausência temporária das pessoas no ambiente de trabalho.

Para a médica especialista em dor, Denise Katz, este mal que afeta a qualidade de vida pode ser alterado com pequenas mudanças. Porém, a especialista adverte que quando o problema se torna crónico, a orientação de um especialista e o tratamento com o medicamento adequado é a melhor opção.

Saiba como minimizar o problema e adaptar sua rotina, em casa ou no trabalho, em apenas quatro passos:

  1. Faça pausas durante as actividades

O corpo humano não foi feito para permanecer por muito tempo numa mesma posição. A falta de movimentação faz com que os músculos doam, por isso, é recomendado fazer pausas nas atividades, em diversos períodos do dia, para alongar.

  1. Diminua a quantidade de peso

Bolsas e mochilas devem conter no máximo 10% do nosso peso e o ideal é distribuir essa carga para não sobrecarregar apenas uma parte do corpo.

  1. Ajuste a postura

A postura incorreta pode provocar dores e lesões nas costas. Para manter a boa postura, mesmo que sentado, é preciso estar sempre com as costas eretas. Tente também colocar os ombros para trás e evite cruzar as pernas.

  1. Pratique exercício físico

Exercícios que promovem o alongamento dos músculos, como os de equilíbrio e a natação, aliviam as dores nas costas. O ideal é exercitar-se diariamente no mínimo 30 minutos e, de preferência, acompanhado por profissionais de educação física.

“Medidas como estas amenizam o problema e contribuem para que as dores nas costas não se agravem. No entanto, apenas um tratamento com um especialista trará qualidade de vida a longo prazo. Por isso, procure orientação médica”, explica Denise Katz.

Fonte: Notícias ao minuto/BA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: