Selecção Nacional pode carimbar hoje apuramento

0

A Selecção Nacional sénior masculina de basquetebol pode garantir a presença na 30ª edição do Campeonato Africano das Nações, Afrobasket Rwanda´2021, caso vença a congénere de Moçambique hoje, às 20h00, no Palácio dos Desportos de Yaoundé, em partida referente à primeira jornada da segunda e última janela FIBA de qualificação, a decorrer até domingo na capital dos Camarões.

O conjunto mais titulado do continente pretende fazer o pleno nesta etapa derradeira, depois de duas semanas de preparação em solo angolano, de acordo com o seleccionador nacional, o brasileiro José Neto. Embora uma vitória baste para “carimbar” o passaporte para Kigali, o objectivo principal é fazer o pleno nas três partidas agendadas.

O treino de adaptação ao recinto do jogo aconteceu ontem à tarde. Os jogadores queixaram-se da qualidade do piso, mas o treinador recordou que o adversário também jogará em condições semelhantes, apelando à compreensão dos pupilos.Em declarações ao Jornal de Angola, José Neto garantiu que todos os jogadores estão motivados para a primeira partida, depois de duas semanas de trabalho árduo. Quanto ao adversário, depois do “scouting” feito, a equipa técnica conseguiu a relação nominal dos doze jogadores, onde constam alguns rostos novos em relação à primeira janela.

“Com excepção de Pio Matos, que teve uma lesão, a base de Moçambique é praticamente a mesma, com a inclusão de alguns atletas novos. Não nos podemos deixar levar pela actual posição que ocupa no grupo. Eles precisam de ganhar para continuar a sonhar com a qualificação, ao passo que nós vamos jogar para garantir a mesma”, sublinhou Neto.

Por seu turno, Miguel Guambe, treinador principal da selecção moçambicana, pretende abordar todos os jogos com cautela, e pediu aos jogadores o rigor táctico para a empreitada que se “afigura complicada”.”Queremos melhorar a nossa prestação e o mesmo em relação ao Senegal. A qualificação passa por superar o Quénia, com uma vantagem acima dos 17 pontos. Esta é a grande diferença que temos de ultrapassar”, concluiu.
Nesta quarta-feira, antes do embarque, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, a comitiva recebeu cumprimentos de despedida do presidente de direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), José Moniz, que endereçou palavras de conforto e mostrou-se confiante quanto às metas preconizadas para a “operação Yaoundé”, e garantiu que o órgão reitor trabalhou para garantir todas as condições.”Até ao momento cumprimos com parte daquilo que prometemos. Alguns de vocês possuem alguma experiência nesse tipo de competições, e sabem que em África os organizadores de eventos, por vezes, deixam muito a desejar. Quero apelar ao vosso espírito de sacrifício. Serão apenas três dias por um esforço que valerá a pena”, rematou.

Na ocasião, o capitão do “cinco nacional”, Carlos Morais, em nome dos companheiros, agradeceu e garantiu que o grupo está comprometido e focado para alcançar as metas preconizadas há duas semanas, antes do arranque dos trabalhos de campo em Luanda.  No primeiro encontro do dia, para o mesmo Grupo, o Senegal joga com o Quénia, às 11h00, no mesmo recinto. Com maior ou menor dificuldade, os senegaleses, lideres da série com 6 pontos, vão confirmar o favoritismo.

A comitiva angolana é chefiada Sílvio Lemos e Luís Costa, e coordenada por Tony Sofrimento. Diego Falcão é o preparador físico, António Manuel e Alexandre Afonso (fisioterapeutas), Valdemiro Miranda (médico) e Pova Francisco (seccionista).Angola faz-se representar pelos bases Childe Dundão, Hermenegildo Santos, Gerson Domingos; os extremos Melvyn da Silva, Leonel Paulo e Pedro Bastos; extremos-bases Carlos Morais, Gerson Gonçalves “Lukeny”e os postes Gilson Bango, Valdelício Joaquim e Alexandre Jungo.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: