Saúde abre concurso para 19 mil empregos

0

Dezanove mil vagas estão disponíveis para o próximo concurso público do sector da Saúde, previsto para este ano, anunciou ontem, em Luanda, o secretário de Estado para a Área Hospitalar.

Leonardo Inocêncio informou que das 19 mil vagas disponíveis que servirão para preenchimento de várias áreas do sector, estão inseridos médicos, enfermeiros, técnicos de diagnóstico e laboratório, catalogadores, farmacêuticos, psicólogos clínicos, entre outros profissionais.
O governante falava no acto da recepção de duas viaturas e 11 mil dozes de medicamentos destinados ao tratamento da tuberculose, brindadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) .
De acordo o secretário de Estado, os candidatos apurados no concurso público anterior, num total de cinco mil, devem, a partir de segunda-feira próxima, consultar as listas afixadas nas direcções províncias da saúde.
Para o governante, após a conclusão da fase da assinaturas de contracto, será anunciando a data para o concurso público de preenchimento das 19 mil vagas existentes para este ano.
A Organização Mundial da Saúde (OMS), doou ontem duas viaturas de marca Land Cruiser, destinadas a apoiar as campanhas de vacinação nos municípios de Belas e de Cacuaco. Foi, também, entregue 11mil dozes de medicamentos, para o tratamento de cerca de 60 mil doentes com tuberculose.
Em reacção, Leonardo Inocêncio disse que quer as viaturas, quer os medicamentos vão contribuir para a melhoria das taxas de cobertura de vacinação na província de Luanda, em particular nos municípios de Belas e de Cacuaco, assim como ajudar cerca de 11 mil pacientes com tuberculose.
Em Angola, frisou secretário de Estado da Saúde, a tuberculose tem vindo a ganhar proporções altas. Apontou que, por exemplo, em 2018, registou-se uma taxa aproximada de 350 a mil novos casos e 20 mil mortes.
O representante da OMS em Angola, Hernando Agudelo, disse que Angola tem vindo a marcar passos significativos na erradicação de várias doenças e na melhoria da assistência médica para os seus cidadãos.
Para contribuir na melhoria da taxa de cobertura em vacina, frisou, a OMS, com o financiamento da Aliança Mundial para Vacinas e Imunização (GAVI), doou as duas viaturas para reforçar o programa de vacinação em Luanda.
“Angola é um dos 20 países com elevadas taxas de tuberculose, daí que continuará a merecer a atenção da OMS no combate a doença, bem como no estudo sobre a resistência da bactéria aos antibióticos”, concluiu Hernando Agudelo.

Fonte: JA/LD

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: