Rússia planeia construir convertiplano eléctrico

0

O departamento de inovação VR-Technologies, pertencente à holding Vertolyoty Rossii (Helicópteros da Rússia), planeia construir até 2019 um protótipo do primeiro convertiplano eléctrico russo.

“Estamos desenvolvendo um novo laboratório voador para um convertiplano. Será aplicada a tecnologia de supercondutividade de alta temperatura que melhorará as características de peso, tamanho e de manobra do protótipo”, disse o director-geral da Vertolyoty Rossii, Andrei Boginsky.

A aeronave será baseada no convertiplano não tripulado VRT3, apresentado durante o Salão Aeroespacial Internacional MAKS-2017, em julho passado.

No drone já foi integrada a tecnologia da supercondutividade, desenvolvida pela empresa russa SuperOx.

O peso à descolagem do novo aparelho deverá atingir 1,5 toneladas. Por comparação, o avião ligeiro mais popular do mundo, o Cessna 172, com capacidade para três passageiros, tem um peso à decolagem de cerca de 1,2 toneladas.

Sendo eléctrica, essa aeronave eliminará dois problemas de uma vez: não poluirá o meio ambiente e gerará muito menos ruído que seus análogos de combustão interna.

Os convertiplanos, apesar de combinarem as vantagens de aviões e helicópteros, ainda não ganharam grande popularidade no mundo. Enquanto os EUA usam os convertiplanos militares Osprey como veículos de transporte, a aviação civil ainda não possui aeronaves desse tipo.

A baixa popularidade se deve à complexidade dos convertiplanos, embora com o tempo possam surgir tecnologias que permitam aumentar a viabilidade deste projecto, especialmente as de controlo de voo.

Fonte: Sputnik / EB

Sobre o autor

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta