Réveillon: sem festas, Angola regista acalmia

0

Angola registou nesta madrugada movimento calmo, pelas suas 18 províncias, apesar da azáfama do Réveillon, celebrado este ano sem festas e sob regime de confinamento.

Conforme dados avançados pela Polícia Nacional, a passagem de ano foi tranquila e vivida com responsabilidade pela maioria dos cidadãos, apesar de alguns excessos controlados pelas forças da corporação.

Segundo o porta-voz da “Operação Quadra Festiva 2020”, 2º comissário Orlando Bernardo, 17 pessoas morreram, em consequência de homicídios, acidentes de viação e afogamentos.

Pelas 18 províncias do país, os cidadãos cumpriram com as orientações do Governo e optaram pelo confinamento e distanciamento físico, por conta da pandemia da Covid-19.

Em Luanda, até ao início da tarde desta sexta-feira, o cenário era de ruas com pouco movimento de viaturas e peões, à semelhança do que ocorreu no Dundo, município do Chitato (Lunda Norte), Caxito (Bengo), Mbanza Kongo (Zaire), Cuito (Bié), Cabinda, Uíge, Luena (Moxico) e Malanje.

Do movimento reduzido nestas cidades sobressaiu a presença policial nas ruas e um tímido movimento de cidadãos nas igrejas, padarias e unidades sanitárias, bem como nos multicaixas.

No Dundo, município de Chitato, o registo foi de uma acentuada presença, nas principais artérias da cidade, de operadoras de recolha de lixo.

No Bengo, cidade de Caxito, o movimento quase nulo nas ruas justifica-se, pelo facto de grande parte dos jovens (mais de 50 porcento dos habitantes) passarem o ano novo em Luanda, capital do país, que fica a menos de uma 1h30 minutos, por estrada.

Na cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, a ANGOP constatou, no casco urbano e bairros periféricos, que a maioria dos estabelecimentos comerciais permaneceram encerrados.

Na província do Bié as autoridades policiais registaram um estupro a uma mulher de 23 anos, no bairro Cavanga II, na cidade do Cuito.

A vítima recebe tratamento médico no hospital provincial do Bié Dr. Walter Stranguay e encontra-se fora de perigo.

Na cidade de Cabinda, nos bairros Comandante Gika, 1º de Maio, Chiweca e Cabassango, destaque vai para pequenas festas familiares em residências, no quadro das orientações para conter a propagação da pandemia da Covid-19.

Na cidade do Uíge, sede capital da província, efectivos da Polícia Nacional (PN) e do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros (SPCB) mantêm-se nas principais artérias da cidade, para dar resposta a eventuais incidentes.

Na cidade do Luena, capital da província do Moxico, destaque vai para ruas limpas, lojas de conveniências abertas e postos de abastecimento de combustíveis funcionais.

Na cidade de Malanje, o cenário mostra movimento reduzido de vendedores/compradores nos mercados informais.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: