Profissionais de saúde brasileiros voluntários nos testes da vacina contra a Covid-19

0

O Brasil é neste momento um dos laboratórios de ensaio do mundo.

Mais de 14 mil pessoas, a maioria profissionais de saúde, estão a participar nos testes da vacina do novo coronavírus.

Voluntários, como a médica imunologista Mônica Levi que, aos 54 anos, decidiu participar para poder contribuir para a ciência.

A pediatra revela que, depois de tomar a vacina, sentiu “dor de cabeça por um dia e meio mais ou menos, às vezes um mal-estar meio inespecífico, um pouquinho de calafrio. Agora não tenho nem como dizer se eu tomei a vacina ou a vacina meningocócica ACWY que é o placebo usado nesse estudo.”

Para se comparar a eficácia da vacina, está a ser injetado um placebo em metade dos voluntários, a outra metade recebe uma das duas vacinas que estão na última fase de testes. A vacina desenvolvida pela universidade de Oxford, no Reino Unido, e a da farmacêutica chinesa Sinovac Biotech.

A situação no país e as características da população tornam o Brasil num dos melhores sítios, atualmente, para se efetuar estes ensaios clínicos.

O médico infectologista, Francisco Bonasser, explica que o país “tem um número muito grande de pessoas adoecendo, você tem uma população heterogénea em termo de faixa etária, em termo de situação de diversidade, vários estados com acometimento da doença em momentos diferentes.”

O Brasil é o segundo país do mundo com mais mortes e pessoas infetadas com Covid-19, depois dos Estados Unidos. Quase 90 mil pessoas morreram e mais de 2 milhões e quatrocentas mil foram infetadas pelo coronavirus.

Para o final do ano, esperam-se os resultados preliminares sobre a eficácia e as contraindicações destas duas vacinas agora em teste no país.

Fonte: EURONEWS

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: