Processo de ratificação da ZCLCA está em curso – Manuel Augusto

0

O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, afirmou domingo, na cidade de Niamey, Níger, estar em movimento o processo de ratificação de Angola à Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA).

O chefe da diplomacia angolana falava à Angop momentos após o encerramento da 12.ª Cimeira Extraordinária da União Africana (UA), onde representou o Chefe de Estado angolano, João Lourenço.

“Angola fará a ratificação do acordo num futuro muito breve”, afirmou o governante, sustentando que o processo se encontra em andamento, estando já calendarizada a discussão deste dossier pelos  deputados à Assembleia Nacional.

Manuel Augusto lembrou que Angola foi o terceiro país a assinar o tratado, pelo  Presidente da República, João Lourenço, em Kigali, Rwanda, a 21 de Março de 2018.

“Cabe agora aos deputados à Assembleia Nacional interpretarem os sentimentos e as necessidades de Angola, no âmbito da sua inserção no continente”, esclareceu.

Este passo, prosseguiu, vai permitir ao Executivo angolano a deposição dos instrumentos a serem ratificados na UA.

A ZCLCA pretende estabelecer o maior mercado do mundo, com um Produto Interno Bruto (PIB) acumulado, que pode chegar aos 2,5  mil milhões de dólares norte-americanos.

Actualmente, os países africanos trocam entre si 16 por cento dos seus bens, um valor aquém dos 65 por cento entre os estados europeus.

A UA acredita que o acordo irá levar a um aumento de 60 por cento do comércio dentro do continente até 2022.

Angola destaca empenho da Nigéria

Ainda no final da 12.ª Cimeira Extraordinária da UA, Manuel Augusto destacou o empenho da Nigéria, por ter aderido de imediato à ZCLCA.

A Nigéria e o Benim assinaram domingo, em Niamey (Níger), o acordo de adesão à ZCLCA.

Para o chefe da diplomacia angolana, sobressai o facto de o país mais populoso de África (Nigéria), que também ostenta o título de primeira economia do continente, ter aderido ao acordo.

“Tornou o dia 7 de Julho ainda mais especial”, sublinhou Manuel Augusto, para quem o fundamental foi ter alçando “uma meta estabelecida há mais de 20 anos”.

Ghana acolhe sede da ZCLCA

Outro facto marcante da Cimeira de Niamey foi a escolha do Ghana, para albergar a sede da ZCLCA. A opção por Acra, capital do Ghana, deve-se ao simbolismo que carrega na história da UA.

Entre este simbolismo, está o facto de aquele país ser a terra natal de Khuame Kruma, considerado um dos pais do Pan-Africanismo e um dos “arquitectos” da Organização de Unidade Africana (OUA), antecessora da UA.

Quando todos os 54 países do continente aderirem à ZCLCA, África tornar-se-á na maior zona de livre comércio do mundo, devendo contar com mais de mil milhão de consumidores.

Actualmente, os países africanos trocam entre si 16 por cento dos seus bens, um valor aquém dos 65 por cento entre os estados europeus, mas a UA acredita que o acordo irá levar a um aumento de 60 por cento do comércio dentro do continente, até 2022.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: