Presidente da República acredita cinco novos embaixadores

0

Cinco novos embaixadores foram acreditados, esta terça-feira, em Luanda, pelo Presidente da República, João Lourenço.

No Palácio Presidencial, entregaram as cartas credenciais ao Chefe de Estado angolano, com estatuto de residentes, os embaixadores da África do Sul, Oupa Monarfeng, do Japão, Jiro Maruhashi, da França, Daniel Vosgien, e do Brasil, Rafael Vidal.

Formalizou também a sua actuação junto do Estado angolano o representante diplomático da Santa Sé em Angola, o núncio apostólico, Dom Giovanni Gaspari.

Depois da apresentação das cartas credenciais, os diplomatas mantiveram, em separado, encontros de cortesia, de cerca de dez minutos, com o Presidente João Lourenço.

Eem declarações à imprensa, após a cerimónia, o embaixador sul-africano afirmou que o foco da sua missão é o reforço da cooperação bilateral.

A nível regional, além da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), organização de integração económica de que os dois países são membros, Oupa Monarfeng defendeu a necessidade de se trabalhar mais em torno da União Africana, uma “plataforma importante para o desenvolvimento de Angola e África do Sul”.

De 61 anos, Oupa Monarfeng, que já esteve em Angola durante a luta contra o regime do apharteid, já exerceu o cargo de embaixador no Burundi.

Já o embaixador do Japão, Jiro Maruhashi, apontou como prioridades da sua missão o reforço da cooperação nos domínios da saúde, desminagem tecnologias de informação, agricultura e educação.

O diplomata nipônico desempenhou funções idênticas nos Estados Unidos da América, Portugal, Moçambique e Brasil.

O embaixador de França, diplomata desde 1994, após considerar “excelentes” as relações entre os dois países, prometeu continuar a trabalhar com Angola no reforço do diálogo em matéria de paz e segurança a nível regional.

O diplomata francês exerceu as mesmas funções na Alemanha, Suíça e Portugal .

O núncio apostólico, de 57 anos, disse que falou com Presidente angolano sobre o Acordo Quadro (rubricado em 2019 entre Angola e a Santa Sé), bem como sobre outros assuntos de interesse bilateral.

Dom Giovanni Gaspari iniciou a trabalhar na Santa Sé em 2001, tendo exercido as mesmas funções no Irão, na Albânia, no México e na Lituânia.

Também em declarações à imprensa, o embaixador do Brasil considerou boas as relações entre ambos Estados e sublinhou que em circunstância nenhuma o problema existente entre os dirigentes brasileiros e angolanos da Igreja Universal do Reino de Deus vai afectar os laços entre os dois Estados.

“As relações de Angola com o Brasil são centenárias e ricas. Os contactos são fluídos e permanentes. Em nenhum momento assuntos consulares são capazes de afectar a nossa agenda”, frisou o diplomata.

Ainda relativamente à crise na Igreja Universal, o embaixador brasileiro referiu ser um caso que está entregue à Justiça angolana e o Governo do Brasil não tem nada contra.

Rafael Vidal já exerceu funções nos Estados Unidos da América, na Colômbia, Venezuela, Dinamarca, Espanha e no Mali.

 

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: