Petro e 1º de Agosto lutam para meias-finais

0

O Petro de Luanda e 1º de Agosto defrontam-se nesta sexta-feira, no pavilhão da Cidadela, para a primeira “mão” dos quartos-de-final da Afroliga em basquetebol.

Os “tricolores”, a começarem a eliminatória na condição de anfitriões, contrataram o extremo-poste Kendall Gray, de 26 anos e 2, 08 metros, atleta que já jogou em várias universidades americanas, além de ter tentado acesso à NBA por via dos Jogos de Verão, onde também já estiveram os angolanos Victor Muzadi, Olímpio Cipriano e Yanick Moreira.

Além deste basquetebolista, a turma do Eixo-viária conta igualmente com o regressado Carlos Morais. De 33 anos de idade, o angolano esteve a jogar no Siena Basket, da segunda Liga italiana.

Já os “Agostinos” assinaram contrato com André Harris, americano de 33 anos.

O jogador extremo-poste, que já representou o extinto Recreativo do Libolo (2016 e 2017), equipa com a qual conquistou a Supertaça em 2016 e duas Taças de Angola (2016 e 2017), é o segundo estrangeiro ao serviço dos campeões nacionais nesta temporada, depois de Emmanuel Quezada, americano de origem porto-riquenha.

Enquanto os petrolíferos vão à procura do seu terceiro título, depois das conquistas 2006 e 2015, os militares lutam pelo nono troféu, depois das consagrações em 2002, 2004, 2007, 2008, 2009, 2010, 2012 e 2013.

O cruzamento entre os representantes angolanos nesta prova continental resulta da sua prestação na fase de grupos, onde os militares terminaram no primeiro lugar da série C, com seis pontos, e os petrolíferos em segundo no grupo D com cinco pontos.

A segunda “mão” acontece no pavilhão do Kilamba, no dia 5 de Abril.

Esta etapa da competição, também denominada Elite 8, reserva ainda o “clássico” egípcio entre o Al Ahly e o Smouha Sporting Club.

Os outros jogos são: Defenders da Nigéria-AS Salé do Marrocos e JS Kairouan da Tunísia- ES Rades da Tunísia.

A final da AfroLiga será disputada no sistema final-four (quatro equipas jogam, a uma volta, todos contra todos), de 3 a 5 de Maio, sagrando-se vencedora aquela que somar maior número de pontos.

O troféu africano está em posse do AS Salé do Marrocos.

Fonte: Angop/LD

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: