Petro de Luanda joga para a liderança no Egipto

0

O Petro de Luanda defronta hoje, às 20h00, no Estádio Borg el Arab, na cidade egípcia de Alexandria, o Zamalek, em desafio da terceira jornada do grupo D da 16ª edição da Taça da Confederação, também denominada Nelson Mandela.

Os tricolores procuram neste desafio alcançar a liderança da série, em caso de vitória, tarefa que não se afigura fácil diante de um oponente que é, somente, um “sortudo” diante de conjuntos nacionais: eliminou o ASA, Interclube e Kabuscorp, curiosamente nos 16 avos de final da Liga dos Clubes Campeões.
Em 2005, afastou os aviadores, com uma igualdade a um golo, em Luanda, e vitória de 2-0, no Cairo. Em 2008 a vítima foi o Interclube, que perdeu por claros 0-3 na primeira mão, embora tenha vencido o jogo de resposta (2-1), na capital do país, mas insuficiente para ultrapassar este “gigante” africano. 
Já em 2014, a equipa egípcia mediu forças com o Kabuscorp do Palanca e seguiu em frente na competição. Derrota dos angolanos fora de casa, por 0-1, e empate a zero em Luanda.
Apesar de nunca se terem defrontado, estes são alguns dados a ter em conta para que o Petro de Luanda possa traçar uma estratégia capaz de vencer este adversário, rumo à liderança do grupo e quebrar o enguiço angolano diante dos egípcios.
Além de vencer cinco vezes a Liga dos Clubes Campeões (1984, 1986, 1993, 1996 e 2002), o Zamalek já conquistou igualmente uma Taça da Confederação, em 2000.
Inicialmente apontado como um dos favoritos do grupo a passar para os quartos-de-final, a formação do Magreb não tem feito jus a esta condição, ocupando actualmente a última posição, com apenas um ponto. O Zamalek está pressionado e precisa de ganhar, para manter a esperança de chegar à outra fase, facto que pode ser muito bem aproveitado pelos petrolíferos, mesmo em terreno adverso.

Prontidão petrolífera
Beto Bianchi garantiu prontidão da equipa, tendo realçado o rigor defensivo como fundamental para uma prestação positiva no terreno do adversário, o que significa vencer ou, no mínimo, empatar.
Apesar das cautelas defensivas, o técnico hispano-brasileiro afirma que também vai postar no ataque, lembrando que “defender frente ao Zamalek, que tem um ataque muito forte, é um autêntico suicídio”.
O “capitão” Job é a única dúvida, pois está a recuperar de lesão no joelho esquerdo.

Com a caravana seguiu o presidente do clube tricolor, Tomás Faria. O embaixador de Angola no Egipto, António da Costa Fernandes, junta-se a festa do clube angolano.
O Petro de Luanda ocupa a terceira posição do grupo D, com três pontos, os mesmos do Gor Mahia do Quénia, em segundo. O Hussein Dey da Argélia é o líder, com quatro.

Fonte: JA / EB

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: