Perdoou e abraçou homicida do irmão em tribunal. Nem juíza conteve emoção

0

O irmão mais novo de Botham Jean, o jovem afro-americano de 26 anos de idade que foi mortalmente baleado por Amber Guyger, no próprio apartamento, perdoou e abraçou a homicida, em tribunal, depois de esta ter sido condenada a 10 anos de prisão pelo crime, na quarta-feira.

Amber Guyger, recorde-se, é uma ex-agente da polícia de Dallas que, em setembro do ano passado, diz ter-se enganado no apartamento e entrou na casa de Botham, que alvejou, pensando que era um intruso.
“Só posso falar por mim, eu perdoo-te. E eu sei que se pedires a Deus, ele perdoa-te”, começou por dizer Brandt Jean, altura em que começou a ficar emocionado, mexendo no colarinho da camisa.
“Acho que ninguém o consegue dizer, e mais uma vez só falo mim, não falo em nome da minha família, mas eu gosto de ti como de qualquer pessoa. Não vou dizer que espero que apodreças e morras, como o meu irmão, mas desejo-te o melhor”, continuou o jovem, não se ouvindo um único suspiro na sala.
“Não ia dizer isto em frente à minha família, ou à frente de ninguém, mas eu nem sequer quero que vás presa, quero o melhor para ti, porque é exatamente o que o Botham ia querer”, continuou. Pouco depois, pediu para abraçar Amber, tendo sido permitido pela juíza.
No momento em que se aproxima da homicida do seu irmão, é possível ver que a própria juíza limpa as lágrimas do rosto.
Depois do crime, Amber, de 31 anos, ligou para as urgências e disse pelo menos 19 vezes que pensou que estava no seu apartamento.
A ex-polícia foi acusada de homicídio por negligência e despedida da força de autoridade, logo em setembro. Porém, um tribunal mudou a sua acusação para homicídio qualificado em novembro. Esta quarta-feira foi condenada a 10 anos de prisão.

Share.

Deixar uma resposta