Pepetela regressa com “Sua Excelência, de Corpo Presente”, a ser apresentado ao público hoje, no Camões

0

O novo romance de Pepetela, “Sua Excelência, de Corpo Presente”, é apresentado no princípio da noite de hoje, 18, pelas 18H30, no Camões – Centro Cultural Português em Luanda.

Ao leitor é prometida uma “crítica mordaz ao abuso de poder e aos sistemas de governo totalitários disfarçados de democracias, escrita com um sentido de humor inteligente, e em que qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência”.

A história desenrola-se, num tempo recente, num local indeterminado de um qualquer país africano. Do protagonista e narrador, não se conhece o nome. Apenas se sabe que foi presidente de um país africano e que teve morte súbita, atingido por uma “maldita doença que apanhou a todos desprevenidos”. É assim o mais recente romance de Pepetela, “Sua Excelência, de Corpo Presente”, editado pela Leya/Texto Editores.

Um livro em que, “com a mestria que lhe é própria, Pepetela, nome maior da literatura angolana e de língua portuguesa, volta a surpreender, no estilo, na forma e na substância”, de acordo com a nota de imprensa do Camões – Centro Cultural Português em Luanda.

“Com a lâmina acutilante e afiada da sua apurada ironia, recorta, de forma sarcástica e implacável, realidades, não raras vezes, a raiar a caricatura e o ridículo. Com a perspicácia de observador atento e profundo conhecedor da história e do mundo que o rodeia, particularmente do continente africano, que o viu nascer, Pepetela regressa com toda sua força, talento e sensibilidade, próprios do grande criador que é”, pode ler-se na mesma nota, que acrescenta: “Pepetela regressa, reafirmando a sua visão comprometida da escrita e o seu profundo humanismo”.

Pepetela (Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos) nasceu em Benguela, em 1941. Licenciou-se em Sociologia, em Argel, durante o exílio. Foi guerrilheiro do MPLA, político e governante. Foi Professor da Universidade Agostinho Neto, em Luanda. Tem sido Dirigente de Associações, com destaque para a União dos Escritores Angolanos e Associação Cultural e Recreativa Chá de Caxinde. Recebeu o Prémio Camões 1997, confirmando o lugar de destaque que ocupa na literatura lusófona.

Fonte: NJ Online / EB

Share.

Sobre o autor

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta